terça-feira, maio 31, 2005

Para o Miguel não se sentir sozinho no mundo

Stan
Stan

Manuel Castro

Which South Park Character Are You?





Mas o que é que se pode fazer...

A mim não me incomoda que o senhor Bush diga os disparates que diz, por ser o presidente daquele ou de outro país, nem mesmo pela influencia que os disparates que diz e que faz que se repercutem no espaço onde vivo, porque a culpa não é propriamente dele, é de que andou à frente deste país e deste continente desde o final da segunda guerra mundial. O que me incomoda é que há vidas à mercê deste homem, que é efectivamente um criminoso e que diz estas coisas com o sorriso de impunidade mais odioso de todos os tempos.

Miguel Bordalo

Isto já entendo!

Jimmy
Jimmy

Which South Park Character Are You?
brought to you by

Acho que faz sentido... mesmo que não goste de South Park nem um bocadinho. Apesar de com o meu azar poderia bem ser o KEnny, não destoava.

Miguel Bordalo

Questionário

Não podendo sair do Farhneit 451 que livro gostarias de ser?

acho que já sou um livro.... sempre tive o sonho de escrever um.... e obvio que escreveria um romance.... sobre tudo o que se vai passando na minha agitada cabeça.... então toda a minha vida poderia dar um livro entre o romance e a ficção.... o suspense e o mistério.... assim ao género Manuel Vasquez Montalban.... misturado com uma Isabel Allende... passando por um Patrik Suskind.... dando uns toques ao Paul Auster.... com algumas personagens de Eça de Queiroz.... evocando essa nossa querida Sophia de Mello Breyner.... e muito mais importantes que todos esses.... na poesia do homem mais inteligente que conheço - o meu pai! Afinal de criação e existência tem os direitos de autor na sua percentagem quase total!

Já alguma vez ficaste apanhado por uma personagem de ficção?

Wow... em que sentido? Gosto muito do ET... tenho um carinho especial por ele.... adoro o spider man.... mas acho que encontro tantas personagens ficticias pelo caminho tão mais irreais que qualquer uma dessas que tenha sido descrita em filmes... livros.... ou relatórios dos X Files! Apanhada... NUNCA.... surpresa acho que todos os dias!

Qual foi o último livro que compraste?

O ultimo livro que comprei é capaz de ter sido um guia da Sicilia..... não me lembro bem... pode ter sido também "600 ricette di piatti vegetariani"?.... nao me lembro, um desses!

Qual foi o último livro que leste?

Ui............ acho que "O Bosque dos Pigmeus", Isabel Allende.
Que livros estás a ler?
Estou entre 2.... "Como água para chocolate", Laura Esquivel e "Equador", Miguel Sousa Tavares... um bocado parados digamos....

5 livros que levarias para uma ilha deserta?

um livro que levaria de certeza seria um caderno em branco..... com muitas folhas.... nunca se sabe o tempo que lá ia passar.... e precisaria documentar cada pormenor....
depois levaria um livro que me divertisse.... podia sempre pensar naqueles "Flores para Crianças" que tinhamos todos os anos quando eramos pequenos inconscientes.... mas sei que podia assustar as plantas quando comecasse a cantar... "numa casa portuguesa fica bem...." então levaria seguramente um livro do Luis Sepulveda....
como obviamente tenho um livro preferido que nao me canso de ler.... levaria também para as horas vagas e seria "O Perfume"
acho que podia sempre levar um livro do António Lobo Antunes... porque antes de perceber todas as personagens que tenta descrever.... ia de certeza alcansar um barco no horizonte que me viesse buscar!
E esse eterno livro de culto que me agrada tanto.... O Mundo de Sofia!

3 pessoas a quem vais passar o teste e porquê?

Ao meter no blogue acho que são mais de 3 as pessoas que vão ler as minhas respostas!
Só porque o Manel pediu..... até parece mentira... hj escrevi, dia de sol... muito inspirada.... com grande bronze! Sinto-me muito util.... cheia de trabalho mas sempre com tempinho para responder a um pequeno questionário!

Inês Maurício

Oh Saudade, essa minha terra de Lisboa

E porque já evocava a Cesaria Evora esse sentimento que só a nossa lingua pode descrever, hoje venho eu falar-vos desse mesmo encanto que nos vem de dentro....
Provocamos saudades, deixamos saudades, vivemos na saudade e temos tantas tantas saudades... Hoje cheguei pela manhã e tinha uma mensagem de alguem tão especial para me dizer simplesmente e apenas... que, tinha saudades! Sorri ao dia... deixei por momentos o presente, regressei ao passado.... enquadrei-o no momento.... e projectei-o ao futuro! Descobri então que há pequenas coisas da vida que nasceram ao nosso lado, que cresceram conosco, que hoje nos dão a mão e que no futuro caminho que temos a percorrer continuarão a fazer parte.... Poderiamos falar de tantos pormenores abstractos da vida, afinal eu sou Química.... e a química é uma ciência abstracta, que nos move, que nos une, que nos faz estar aqui... nos constitui, nos destroi.... nos transforma e nos desintegra......... é energia, é matéria, é movimento... é agitação..... mas no fundo...... vivemos numa dimensão muito maior! Não conseguimos desprendermo-nos do todo para percebermos de que é feito o nosso núcleo.... Então às vezes conhecemos uma amiga que nos faz estes discursos filosóficos e nos faz pensar que temos razão quando nos descentralizamos do continente para conhecer o conteúdo, quando deixamos de parte o todo para conseguir o nada e passo a passo vamos tocando a terra com a ponta dos dedos e com um pequeno olhar.... Sentimo-nos muito melhor..... exactamente naquele momento em que sabemos que deixámos além um pequeno sorriso de ingeniudade.... porque.... ao deixar a marca, deixámos saudade........
Eu enalteço hoje pessoas que me acompanham desde que me conheço, desde que me lembro de mim.... são essas pessoas que me vão conhecer sempre, que vão sempre conhecer demasiado bem o meu mundo, porque afinal sempre fizeram parte dele, ajudaram-me a criá-lo.... e aqueles que antes de nós quiseram conquistar o mundo... mudá-lo, faze-lo melhor.... esses quiseram exactamente deixar-nos sonhar para continuar os seus sonhos, os seus desejos... os seus ideais! E... então falo-vos de matéria... de coisas que vizualizamos realmente.... mesmo que o nosso inconsciente trabalhe muito mais que o consciente e mesmo que a nossa realidade seja completamente abstracta.....mesmo que consideremos a realidade a continuação do sonho..... e consideremos possivel fazer do sonho a nossa realidade....
so vos queria dizer que dia 19 de julho volto para Lisboa.... e penso que para ficar!

muitos beijos, muitas saudades

Inês Maurício

segunda-feira, maio 30, 2005

Há governos e há desgovernos

Acompanhei pela rádio com muita atenção a sessão parlamentar em que Sócrates explicou as medidas para resolver a surpresa que foi o chamado “relatório Constâncio”, bem apropriado e seco nome, que deixa este país desconfiado, mas muito desconfiado do que raio é que andaram três anos a fazer, para que a situação piorasse tanto quando se pediam sacrifícios, esses governos PSD/PP sobre capa de tão grande seriedade.
O que é que eu ouvi? Ouvi um salve-se quem puder por parte do PSD, um firmes ao cair mesmo de boca ao chão por parte do PP, que parece querer alhear-se da realidade, uma esquerda um pouco desorientada, compreensivelmente, porque essa está forçosamente alheada de realidade, é a única que não tem responsabilidade praticamente nenhuma no desencadear dos desenvolvimentos que culminam no bombástico “relatório Constâncio” (sempre que se dissesse isto devia vir acompanhado de uma voz omnipresente grave!). Sócratres esteve bem, o governo e as suas decisões também, com um senão, um senão até um pouco grave, a subida do IVA. Não só é o imposto mais estúpido que existe, é também um dos mais injustos, porque de uma forma muito disfarçada prejudica mais aqueles que têm menos dos que têm mais, aumenta a inflação, e quem disser o contrário mente, diminui o poder de compra, e é um imposto quase escondido, o que faz com que as contas sejam difíceis de fazer e apanhe as pessoas desprevenidas. O aumento do IVA é um disparate, o PS sabia-o há uns meses atrás, é pena que se tenha esquecido.

Miguel Bordalo

Mésinhas

O meu último post sobre futebol nos próximos tempos

Tenho só de falar aqui das minhas superstições, um delas, estou convencido, é parte integrante da vitória do Benfica neste campeonato. Eu no estádio da Luz não foi adepto para os últimos dois jogos, porque infelizmente não consegui arranjar bilhetes. Foram raros os jogos que falhei em casa durante toda a época, mas de fora nestes últimos jogos restou-me uma última mésinha que vou agora revelar, no intervalo do jogo (dos últimos quatro jogos, não apenas dos em casa), certos e determinados amigos meus, mesmo que estivessem ao meu lado recebiam esta mensagem:

“Estamos a jogar tao bem, vamos ganhar esta merda toda!”

Pois, ganhando ou empatando a mensagem foi talismã! Resumia o estado de espírito, e a agressividade que foi necessária para passar por estes últimos momentos do campeonato, em casa e fora!
Para a taça, estávamos a jogar tão miseravelmente mal que não tive coragem para me aproveitar do meu Karma, sabem que estou cada vez mais convicto que nestas coisas do futebol, quando está tudo muito perto, é o Karma quem decide… é o Karma… no futebol e no surf, já agora! (transição final)

Miguel Bordalo

Foi uma taça veio o Pastelinho

Terminou finalmente! Terminou a minha época desportiva de adepto benfiquista, vão começar os exames e a entrega dos trabalhos, por isso vou passar a ter tempo para me sentar na minha secretária, relaxar e ler uns textos do Pedro Adão e Silva…
No geral achei a minha época desportiva positiva, quebramos o jejum, que soube muitíssimo bem, e ainda tivemos tempo para receber uma lição importantíssima de humildade.
Este campeonato foi custoso, sofrido, mas muito engraçado, estava eu no Porto, numa das minhas visitas periódicas, quando ouço este comentário “Cara***! Este ano estamos todos a aprender a fazer contas muito bem!” com aquele sotaque bem tripeiro, resumiu o campeonato de uma forma genial! O Benfica foi campeão no ano do apito dourado, será que este campeonato foi assim, um pouco devido a isso? E foi campeão devido a um número de factores absolutamente incríveis, um treinador que espremeu a equipe até não dar mais, jogadores motivados em alturas importantes do campeonato, e uma massa associativa que decidiu aparecer no final do campeonato e dar o empurrão final! Não esquecendo um Simão que andou grande parte da época com a equipe às costas… Mas enfim, está quebrado o enguiço, isso é o mais importante.
Já para a taça viu-se o pior do Benfica, em todos os aspectos, deste ano, o Setúbal estava a jogar mal, abaixo de mal mesmo! Mas os jogadores do Benfica conseguiram jogar ainda pior! Porque se via que quando aceleravam um pouco que fosse, era para criar perigo, mas os jogadores não estiveram lá, apáticos, expectantes, adormecidos. Quem não esteve lá também foram os adeptos, e não me digam que foi porque o Benfica jogou mal, que eu foi ao Jamor, (bilhete arranjado no dia anterior, obrigado António!) e os adeptos do Benfica em clara maioria, nunca fizeram mais barulho que os de Setúbal, faceta dos adeptos que vi várias vezes neste campeonato, com uma clara excepção nos últimos quatro jogos, verdade seja dita não houve grandes assobios, mas apoio também não, com os de Setúbal a vibrarem com cada jogador anunciado, e os benfiquistas congelados ao ouvir cada um dos seus… Paciência, gostei muito de ir ao Jamor à mesma, não me importei de perder contra o Setúbal, tinha mas é que ser, já estou a pensar na próxima época… (isto com o futebol não pára!)

Miguel Bordalo

Momentos

Pelo terceiro dia consecutivo o dia cai em tons de vermelho-fogo, numa tonalidade apocalítpica. Um céu seco. São estas pequenas coisas, estes momentos perdidos, feitos em imagens, deambulando por lugares, entre terra e mar, entre vales e ondas, grafismos de um qualquer deus, que recompensam a vida junto ao mar.

Manuel Castro

PS: É oficial. Preciso de comprar uma máquina fotográfica boa.

Mais recados pendentes, agora para o Filipe

Este pendente vem mesmo a propósito, no dia de hoje. Fiz este teste, que o Filipe sugeriu, e cá estão os resultados.

Vous vous situez à gauche.
Le parti dont vous êtes le plus proche :
les Verts

La tendance des Verts dont vous êtes le plus proche est en général plutôt POUR la Constitution européenne.
Le(s) parti(s) qui vien(nen)t ensuite :

2. le Parti Radical de Gauche (PRG)mais, en règle générale, vous accordez plus d'importance au contexte dans lequel les gens évoluent (ou moins d'importance à leur responsabilité personnelle).
Le PRG est plutôt POUR la Constitution européenne.
3. le Parti Socialistemais vous êtes plus ouvert sur les questions liées à l'évolution des moeurs.
Lors d'un référendum interne, les militants du Parti Socialiste se sont prononcés à 59% POUR la Constitution européenne. (L'aile droite du parti était en général POUR, l'aile gauche du parti, ainsi que Laurent Fabius et ses partisans, étaient CONTRE, le reste du parti était divisé).

Tanto um como outro post já têm uns dias, mas não podia quebrar a linha editorial deste blogue, lógicamente. Pela demora repetidas desculpas ao Chico e ao Filipe. Aos meus colegas de blogue sugiro que façam este teste e o publiquem.

Manuel Castro

Para o Chico, com atraso

Terminando o transe benfiquista podemos voltar a outras coisas importantes e vitais, como, por exemplo, este inquérito.


Não podendo sair do Farhneit 451 que livro gostarias de ser?

Um livro aquático por motivos óbvios, juntando o útil ao agradável. Talvez por isso, o Vinte Mil Léguas Submarinas. De qualquer modo deve ser uma grande falta de privacidade ser-se livro. Sendo assim, não gostava de ser livro.

Já alguma vez ficaste apanhado por uma personagem de ficção?

Devia, mas não gosto assim tanto de livros. É mais filmes. Sou muito preguiçoso.

Qual foi o último livro que compraste?

Os surfistas não compram coisas, arranjam cenas.
O último que li, com olhos de ler assim, foi Uma História Da Cultura do Surf, do Drew Campion.

Qual foi o último livro que leste?

Foi esse mesmo. E alguns capítulos de um ou outro livro sobre os troubles irlandeses que positivamente infestam a minha biblioteca (sugestão, a Irlanda Colonizada, uma selecção de Alberto Martins).

Que livros estás a ler?

O último que tentei começar a ler foi a biografia do Orson Welles, por Maurice Bessy. Uma coisa simples, biografia de bolso.


5 livros que levarias para uma ilha deserta?

Toda a Mafalda, do Quino.

Qualquer um do Paulo Coelho, para ganhar motivação para sair da ilha deserta rapidamente.

Planisfério Pessoal, do Gonçalo Cadillhe.

Stormrider Guide, porque a ilha pode ser deserta, mas tem que ter ondas.

O Cem Anos de Solidão do Gárcia Marquez.


3 pessoas a quem vais passar o teste e porquê?

À nossa irmã mais nova, a Inês, que nunca mais volta para Portugal e nunca mais tivemos notícias bloguistas dela, ao Miguel Teixeira, para verem que os tipos que aparecem a falar em disciplina nos DVD´s sobre a História do Benfica também lêm umas coisas (e ficas avisado, quero ler sobre clássicos de BD) e ao Garoupini, para ele reactivar o blogue com pior gosto possível da blogosfera (se excluírmos os blogues cristãos do Texas) ;)


Manuel Castro

PS: desculpa a demora Chico. Tenho pena que me tenham cortado as vazas para falar de coisas que gosto mesmo muito de ler, com as histórias do menino Nicolau e os livros do Pratt. E o Astérix, claro.

domingo, maio 29, 2005

Parou o Vitória

E o Vitória parou o campeão. A língua portuguesa é muito traiçoeira, mas hoje os charroucos foram ainda mais. E, de longe, mereceram a Taça. Parabéns a um clube porreiro. A cerrreja no topo do bolo estava estrrrragada. Paciência. Viva o Benfica.

Manuel Castro

sábado, maio 28, 2005

Mais Benfica

Esta semana correu-me às mil maravilhas, algumas das coisas que se passaram terei de escrever nesta próxima semana, quando o Pastelinho voltar. Acabaram-se as aulas, vi bons filmes e apanhei belas ondas, tudo na semana que o Benfica foi campeão, na semana em que o Benfica prepara a final da Taça de Portugal… um bom concerto, boa companhia nas minhas surfadas, ouvir falar muito do Benfica, comprar muitos jornais desportivos, para ver como é que se lava a cara de disparates contínuos que se dizem época fora, mas ninguém é imputável por aquilo que escreve neste país? Em Inglaterra, por exemplo, ouço muitas vezes casos de gente que é despedida por dizer disparates…

O maior disparate que ouço ultimamente é que nesta taça de Portugal a pressão está no Benfica, o Setúbal não tem nada a perder. O quê? Eu não entendo o que a generalidade do comentador desportivo anda para aí a dizer, então uma equipe que ganha um campeonato que o clube não ganhava há onze anos está com pressão para quê? Para a taça? Eu como benfiquista bem que gostava de ganhar a taça, mas a esta equipe já não lhes peço mais nada, deram-me o que eu queria, para o ano peço mais, o que vier este ano é por acréscimo! Moral a minha equipe vai ter, disso tenho a certeza, o problema pode vir a ser a ressaca da festa. Os de Setúbal não têm nada a perder? O clube já não vai a uma final da taça para mais de trinta anos, podem vir a fazer história, vão jogar contra um clube que lhes ganhou duas vezes de maneira clara, e que para nos ganharem vão ter ainda de descobrir como marcar um golo ao Benfica, nós, campeões nacionais, só temos de nos juntar em festa e divertirmo-nos durante 90 minutos ou mais, boa festa a todos, para a semana o Pastelinho volta.

Miguel Bordalo

quarta-feira, maio 25, 2005

O Pastelinho

A última vez que foi visto, o Pastelinho berrava pelo Benfica numa Avenida do Porto em frente às câmaras de televisão. Ao seu lado, um senhor dizia em tom muito sério, de dedo em riste.
O Benfica é o melhor clube do mundo.
Fazia aquele ar faduncho, inclinando a cabeça ligeiramente para trás, como que a ganhar folêgo, fechando os olhos por centésimos de segundo, quase imperceptíveis, e repetia.
O Benfica é o melhor clube do mundo.
Choviam insultos, pedradas, pauladas e o homem repetia-se, ignorando a turbe que quase engolia o microfone, mantendo a pose.
O Benfica é o melhor clube do mundo.
Parecia o presidente da junta. Qualquer presidente da junta tem o dever de ser do Benfica. Toda a gente sabe isso.
O Benfica é o melhor clube do mundo.
Empolgado, porque o Pastelinho é mesmo assim, agitando a bandeira o Pastelinho desce, entretanto, o país. Está a ser bonita a festa, pá. O Pastelinho saíu em delírio pelo mundo.
Vai a Paris, a Genebra, a Díli, a Newark. Junta-se à onda vermelha. Altares, imagens, símbolos, mitos, recordações, fotografias. É um crença que se ostenta sem vergonha.
Não são poucos, são milhares, milhões. E mais milhões.
O Pastelinho vai onde o ar sufoca. Não esquece o Roque Santeiro e o Sucupira. Perde-se com leveza em terras de São Tomé, esquece a guerra latente na Guiné.
O Pastelinho desapareceu na Benficofonia. Está algures no mundo, provavelmente do outro lado. Há-de voltar, seguindo o trilho deixado pela ressaca dos festejos. Por aí, sabemos nós, não se há-de perder, como toda a certeza. E entretanto, não se enjoem com tanto Benfica. São as susceptibilidades de uma boa pastelaria. Doces a mais. E as promessas são para se cumprir. Até à volta Pastelinho.

Manuel Castro

Muita coisa se passa neste mundo, e por aqui tão perto

Post desinteressante meramente pontual

Guterres foi finalmente escolhido para o lugar que tanto perseguia, é mais um passo para a carreira firme deste diplomata, que optou sempre pela presença no estrangeiro para sua carreira e para (muito bem posto assim) a sua contribuição como homem político, e humanitário (é mais pomposo), mesmo quando não devia Guterres sempre preferiu estar lá fora, agora, sinceramente, até lhe agradeço.

Sá Fernandes, um candidato à câmara de Lisboa de que ainda irei ter de falar muito mais aqui no Pastelinho, quer praticar taxas para veículos que entrem em Lisboa… pensei que esta cidade já não estava rodeada o suficiente de portagens… mas até concordo com a medida, quer ver é como é que se vai praticá-la… Numa história relacionada, Sócrates já mandou dizer que os impostos iriam aumentar. Pois é que é uma surpresa daquelas de mandar com o queixo ao chão! Não é incrível! Vamos lá ver é se as medidas tentam equilibrar os sacrifícios que os portugueses andam agora a fazer à mais tempo do que o Benfica esperou para ser campeão.

Al Zarqawi foi aparentemente aleijado num confronto, e a Al-Qaeda duas uma, ou já anuncia as suas fatalidades ou já prepara um mártir. Este não é tipo para aparecer em jornais sensacionalistas a lavar as cuecas, mas talvez esteja enganado.

Miguel Bordalo

terça-feira, maio 24, 2005

Alguns vencedores e responsáveis

O grande vencedor



O Benfica como é evidente, a vitória é de todos, mesmo daqueles que, quais profetas da desgraça tiveram, e ainda têm um pouco, medo de ganhar pelo Benfica. É daquelas coisas que acontecem quando se está muito tempo sem se ganhar.

Outro vencedor e principal responsável



Trapattoni é a imagem da competência, quem entende dois dedos de testa de futebol tem de gostar de Trapattoni, quem não gosta ou é porque não gosta do estilo, ou é porque o chama de trapalhão, medroso, incompetente, e de adeptos de futebol ignorantes está o mundo cheio, e não se pode fazer nada, a não ser festejar com eles quando as questões estão resolvidas. Errou Trapattoni no decurso deste campeonato? Não vejo onde, numa ou noutra substituição? Quem é o treinador que não erra? Com aquilo que tinha, um plantel curto, mas com muita qualidade, teve dificuldades em tempos cruciais de lesões e baixo rendimento de jogadores fundamentais, (a culpa é de Trapattoni que a equipe não tenha mais jogadores?) O único jogo em que fomos goleados, contra o Beleneses, a nossa equipe tinha como centrais, Amoreirinha e Argel, jogadores que já nem fazem parte do plantel benfiquista, que neste momento tem os melhores centrais da super liga, mesmo no banco, Ricardo Rocha e Luizão têm competição no lugar com Alcides e André Luís. A insistência de Trapattoni na mesma equipe era evidente, um sistema bem montado e organizado que podia e foi, muitas vezes contrariado, honra a quem o conseguiu, mesmo que no final desta temporada o tenham feito mais no anti-futebol. A questão dos pontas de lança é sintomática das críticas que fazem a Trap, não ponha o Nuno Gomes (diziam uns), mas quem é o Karadas? Muitas vezes ouvia, ponha o Delibasic! Porque não? Experimente! É nestas alturas que uma equipe precisa de ter um treinador responsável e acima de tudo que saiba mais de futebol que qualquer residente neste país. Mas enfim, lá ganhou, como prevíamos aqui no Pastelinho. Mais duas épocas no Benfica, com vontade, e ninguém nos parava em lado nenhum! Mas enfim, não se pode ter tudo, e com Trap já fui campeão e devo-lhe isso para sempre! Obrigado Giovanni Trapattoni.

Outros vencedores e responsáveis fundamentais

Os jogadores



Chamaram-lhes de tudo no decorrer deste campeonato, um jogador do Benfica tem essa pressão adicional, tem de ouvir mais dos comentadores, dos adeptos dos outros clubes e do próprio Benfica, foram bravos, muito bravos, principalmente os mais usados, deixo aqui a referencia aos três jogadores mais importantes do plantel, Simão, Petit e Luizão e que pena que este último se tenha de ir embora…

Álvaro Magalhães



Alvaro Magalhães é a seguir a mim ;) , o maior benfiquista que alguma vez pôs os pés neste mundo. Devia ficar sempre no Benfica, como aqueles personagens que tínhamos, os capitães, e os salva vidas, para adjunto e por vezes treinador quando fosse necessário, Alvaro Magalhães é o futuro da mística que temos de cultivar neste clube. Não sei qual será o seu futuro, é provável que tenha voos mais altos planeados, espero que se e que os concretize que merece! Mas se ficar no Benfica ainda bem para o Benfica.

Os adeptos



Dizia alguém, já não sei quem, que no último momento, quem empurrou a equipe para a vitória foi o clube, a dimensão que ele tem, os adeptos que transporta. É impressionante a capacidade de mobilização do nosso clube, somos realmente muitos, mesmo muitos! Tivemos a recompensa final por aquilo que lutámos, ainda bem, agora é preciso não ficar tanto tempo sem ganhar! E é já para o ano se for possível.

Os dirigentes



Gostemos ou não deles, e eu até sou um pouco desconfiado, tem de se dar, a Luís Filipe Vieria principalmente, o reconhecimento devido, de um trabalho que tem vindo a ser feito desde Vilarinho, que culmina já com o apoio de Veiga. A estabilidade, e a escolha de boas equipes técnicas dá para já dois títulos ao Benfica, pode vir um terceiro a caminho.

Miguel Bordalo

segunda-feira, maio 23, 2005

Não quero ficar estúpido

Nesta celebração eufórica da vitória do meu clube, outras forças se levantam, outras histórias se revelam, é engraçado, o comunicado para a notícia do verdadeiro déficit ter sido feita tão perto da data decisiva do campeonato nacional. (mas como um professor meu de política uma vez dizia, eles não podem ser assim tão inteligentes…)
O déficit vai para lá dos 6%, o Benfica é campeão – déficit 6% Benfica campeão – déficit Benfica 6% campeão – 6% Benfica déficit campeão – 6% campeão déficit Benfica, e podia ficar assim uma data de tempo porque realmente não consigo pensar lá muito bem nisso… devo ficar assustado? Fugir aos berros pela rua? E depois pensam que eu ainda estou a festejar o Benfica… Mas que raio, 6%! Quase sete! Mas o que raio é que andam a fazer com as contas públicas? Eu não sou nenhum economista, mas se eu tenho uma casa, e para ganhar dinheiro com ela me confronte com um déficit elevado, não posso andar a remendar o sítio,( para se ir remendando um país vai-se fazendo uns investimentos envergonhados aqui e ali). É assim que querem resolver o problema? Alguém tem de arrumar a casa, uma remodelação completa, ir noutra direcção, parece que andamos a caminhar para o precipício há trinta anos sempre no mesmo caminho, num desenrasca aqui, desenrasca ali. Os governantes sempre a olhar para o lado assustados, e a pensar no passado ressabiados!

Mas fez um pouco de impressão, isso fez, o comunicado do PSD a implicar o governo de Guterres, como grande culpado dos quase 7% de déficit, tivemos este país a ser governado durante três anos, em gritos exasperantes de sacrifícios localizados, de vitimas e culpados, políticos indignados, e no final, antecipado (haja deus!) o grande objectivo, o movimento nacional, a resolução deste crivo é que a situação está disparatadamente pior! Não me digam que já se esqueceram dos discursos vitoriosos de Durão, de Santana a falar de retoma, de Bagão e da credibilidade ganha. Ninguém se pode ter esquecido! E agora há comentadores na Sic Notícias que vão finalmente pedir demissões? Ou nem por isso? Acho que são os únicos que se podem demitir, não só na Sic Notícia é claro, no Diário de Notícias, o Independente todo! Etc.. É que me parece que nos próximos tempos toda esta gente sofrerá de uma amnésia aguda, que afectará de forma decisiva a memória destes últimos três anos. E olhem que três anos é muita coisa!

Miguel Bordalo

Um grande 31

Finalmente campeões. Depois de dois anos consecutivos a cheirar o título, depois da conquista da Taça, finalmente o campeonato. Um campeonato estupidamente sofrido.
Dizem-me que foi medíocre, este campeonato. Deve ser sido, suponho, pelo menos para cinco equipas. As que desceram de divisão e para o Sporting e para o Porto.
Dizem-me que o Sporting e o Porto estiveram muito mal, só por isso o Benfica foi campeão. Mas, e esquecendo o Porto dos últimos dois anos, não é sempre assim?
Ou é costume acabar com duzentos pontos? Ganhar todos os jogos? Marcar quatrocentos e vinte cinco golos?
É preciso alguém perder pontos. E no campeonato ganha quem é regular, quem oscila menos e não quem tem picos histéricos. Podem ver a coisa pelo lado negativo, que ganhou o menos mau. Eu e cinco milhões novecentos e noventa e nove mil, achamos o contrário. Nem é preciso tanto. Quantos são? Mandamos para lá o Máximo e calam-se todos.

E ganhou a equipa que foi mais regular. O clube que mais tempo liderou a prova. O que tem melhor treinador. O que tem melhor onze.
O Benfica que tem andando com fato de gala nos últimos dois anos, em cima do melhor futebol FC Porto de sempre, vestiu-se de pragmatismo com um fato operário. E venceu. Venceu porque tem Trap. Trap não é o treinador com melhor curriculum no mundo à toa. Trap não brinca, Trap não fala, Trap vence. Honra a Trap. O italiano old fashioned ganhou à modernice pseudo-intelecutal portuguesa. Antiquado?
Antiquada é a brilhantina que Rui Santos usa.
O Benfica ganhou porque foi como Trap. Humilde. E elegante. E trabalhador. Porque não subestimou adversários, porque acreditou que as contas se faziam no fim, porque se uniu quando as coisas correram mal. Claramente não tinhamos o melhor plantel. Mas obviamente tinhamos o plantel mais unido, mais fraterno, mais solidário.
Ganhámos porque fomos a equipa que mais correu, sofreu e se enraiveceu.
Que os outros fiquem com os outros títulos, das equipas que melhor futebol praticaram e com os título da equipa que ganhou o campeonato entre os três grandes -e isto existe mesmo. Nós já não ganhamos títulos a brincar.

Não me venham com tangas. Ganhámos o campeonato porque somos os maiores. Porque temos os dois melhores guarda-redes que jogam em Portugal. A melhor dupla de centrais. O melhor lateral direito da Europa, que até coxo, consegue continuar a ser o melhor lateral direito da Europa. A meio campo mais sólido, com dois fantásticos médios-centros. E daí para a frente? Os melhores. O volante, os extremos e o avançado. São os melhores e os maiores.
E claro, temos o Mantorras. E quem tem Mantorras tem tudo.
Este campeonato foi o culminar de três bons anos em que o Benfica batalhou e lutou, com várias faces, de um modo brioso e com recursos escassos.
Finalmente, somos campeões. E domingo temos mais uma jogaça, não podemos dormir em serviço, aquela Taça não pode ser charroca. Força Benfica!

Outras conclusões ligeiramente menos importantes mas podem ler à vontade:

O FC Porto tem a classificação mais imerecida de todas. É que o FC Porto não se limitou a ser o pior dos três grandes, foi das piores equipas do campeonato.
E já agora, que os jornalistas de serviço na cidade do Porto deixem de ser maricas e digam as coisas que são para ser ditas. Ontem, quando os adeptos do Benfica estavam a festejar a vitória nos Aliados e foram brutalmente agredidos por aqueles estupores cobardes, estavam a fazê-lo livremente e não "teimosamente" como aquele senhor com ar coveiro da SIC sugeriu. E não houve "confrontos entre claques", houve um quase massacre.

O Sporting perde a época e perde a cabeça, naquele processo tão tipicamente leonino de como entrar em decadência numa semana. Os que só sabem porque não ficam em casa tentam bater nos jogadores, Moutinho, a coqueluche, à cabeça (não te preocupes João, isso já aconteceu ao Figo), outros recusam-se a jogar, outros mandam o treinador para um sitío qualquer que não Coruche, o capitão Barbosa ataca e consegue o recorde de jogador em actividade com pior cadastro disciplinar do futebol português.
Uma tristeza para os bons adeptos do Sporting, que não são todos, mas que eu respeito, que são aqueles que preferiam uma vitória do Benfica ao Porto neste campeonato. Os outros merecem tudo e mais alguma coisa, inclusíve que Peseiro fique no Sporting. E toma.

Manuel Castro

Benfica no Pastelinho

Nos aqui no Pastelinho sempre fomos muito frontais na relação que tínhamos com o Benfica. Este blogue é do Benfica, e isso é dos estatutos! Não somos de hostilizar, nem é essa a vertente mais importante aqui no Pastelinho, por isso não nos importamos de ter aqui um escritor que também é do Sporting, com a liberdade para dizer o que lhe vier à cabeça, tal como qualquer outro leitor, que pode comentar ou enviar-nos mails para serem publicados, (dentro de um certo nível, claro).

Mas devo dizer também que em blogues de gente do Benfica que eu tenho lido, este é o único blogue que acreditou, do principio ao fim, na vitória do Benfica, mesmo os meus amigos benfiquistas, são raros aqueles que não tiveram dúvidas, o Manel, a Dreca, o Diogo, o Alex e eu acreditámos e acreditaremos sempre no Benfica! E peço desculpas, mas tenho de dar a César o que é de César, mesmo que eu seja um pouco César também.

Miguel Bordalo

Bom dia Benfica!

É verdade, o campeonato do Benfica está ganho. Sendo do Benfica há uns anos, já sabia que se fosse para ganhar teria de ser assim, no sofrimento até à última jornada! Não faz mal, muito antes pelo contrário, até soube bem, a festa foi de arromba, cheguei ontem a casa eram cinco e meia da manhã, estive a participar na maior festa que vi nesta cidade desde que a conheço. Estive no Marquês e acabei no estádio da Luz a gritar ao lado de Bagão Félix pelo meu Benfica… nestas noites arranjamos com cada companhia… a um amigo meu também lhe roubaram o telemóvel, mas não foi por isso que a festa parou! Devo dizer que bar aberto na zona Vip do estádio da Luz foi muito bem aproveitada, principalmente no inicio da noite, porque depois tive de abrandar já que tinha de guiar uns míseros metros até minha casa em condições!
Pois é, sai de Lisboa eram seis da tarde, a minha peregrinação começou e já havia um cheiro no ar de festa, não era muito eufórico, mas já se pressentia, era premonitório o ambiente da minha cidade. Cheguei à Ericeira, mais nervoso que nunca, mais com a perspectiva de encarar um festejo que na realidade nunca fiz na minha idade adulta. Chegamos a casa do grande Manel, sentamo-nos nos nossos lugares e estava tudo preparado. O jogo? Acho que foi o menos importante, se analisarmos bem, foi um jogo à Trappatoni, impossível de perder, muito certo na defesa e no meio campo, mesmo com Manuel Fernandes menos bem, mas com Petit enorme! O Boavista em toda a partida teve uma jogada de perigo, foi a do golo, e quem é que não está preparado para perdoar Luizão seja do que for? A poucos minutos do fim, quem diria? Foi a académica a sentenciar o resultado, e a festa nunca mais parou até às 6 da manhã! Uma referencia mais ao jogo, pelo menos para já, Álvaro Magalhães é enorme!

E estava feito, a alegria porque tanto ansiávamos concretizou-se, muito falarei eu dela nos próximos tempos. Viva o Benfica!

Miguel Bordalo

O despertar do vulcão adormecido

slb
Somos campeões!!!!!!!

sexta-feira, maio 20, 2005

Se no post anterior, vós, estimados leitores, me colocaram o epíteto "transtornado", então isso é capaz de se dever ao facto de ontem, quando passava por um dos corredores lá do trabalho, ter deparado com as minhas míticas colegas a experimentarem soutiens comprados em promoção na praça que fica ao lado do nosso estaminé, estando todas elas, com aquele frenesim que as crianças têm quando recebem brinquedos novos, efusivamente colocando os noveis soutiens de 3 euros nas suas flácidas mamocas.
Já dizia alguém em Inglaterra: "Being a public servant is a hard task"...
    Pedro Branco

      quinta-feira, maio 19, 2005

      Futebloguês

      Apesar do repto do Grande Líder Branquista, o alter-ego independentista do genial Pedro Branco para falar sobre o jogo do passado sábado resolvi aderir a essa sublime arte de não dizer disparates em futebol, a que se deu o racionalista nome de black-out. Mais, prognósticos, agora, sou na segunda-feira. Depois do jogo. Não quero estar a beira do precepício e dar um passo em frente. Afinal, aqui no Pastelinho, somos humanos como as pessoas. E apesar do meu coração só ter uma cor, vermelho e branco, é tempo de ficar calado e esperar por qualquer coisa enorme. Estou magoado? Não, pelo contrário, sinto-me muito bem.
      Só acho melhor não dizer nada, antes que, a tentar evitar o canto, envie a bola à barra da minha própria baliza. No fundo, é a vantagem de ter duas pernas. E antes que isto pareça um comentário para a zona de nínguem -onde não estava mesmo nínguem - convém dizer que comigo, ou sem-migo este este blogue é o maior. Estamos felizes, porque estamos contentes de ter este blogue, é uma questão de chutar com o pé que está mais à mão para atingirmos os objectivos propostos. Quer dizer, não temos bem objectivos. Queremos é ver as verdades respostas, sem bodes respiratórios. Entretanto, lá se foi o black-out. E não dizer disparates.

      Manuel Castro

      PS: Este post é uma colagem de frases reais de personagens que, sim, também são reais. De Cadete a Gabriel Alves, passando pelo mítico João Pinto. Viva a futebolândia!

      O que é um partido?

      Um partido é no seu aspecto ontológico definido pela sua direcção ou pelas suas bases? Não tenho dúvidas que a história de um partido é marcada pelas suas direcções, pelos homens fortes que o dirigirem, que criam uma imagem com que cada um se pode identificar, mas cada um destes líderes se arroga muito do apoio das bases. Todos os partidos exepto o PCP são claros na importância deste aspecto. No PCP há o centralismo democrático, sistema que claramente indica que ao militar neste partido há que haver uma integração no sistema central que pode inclusive colidir com a própria opinião, mas se podemos não gostar deste aspecto antipático do PCP, não os podemos acusar de não serem directos e honestos. Senão vejamos, o PCP afastou um autarca das próximas eleições, porque este contra o comité central decidiu apoiar o PS para que uma dada companhia de água fosse privatizada. Alguém que conheça o PCP pode estranhar este afastamento?
      Já nos partidos grandes estas histórias têm outros contornos, e quando o PSD nestes últimos tempos, com Marques Mendes, se tem esforçado para ganhar um credibilidade perdida, uma seriedade de outros tempos (?), eis que os afastamentos começam. Na minha opinião muito bem, mas atenção, contra as bases! Isaltino e Valentim Loureiro vão combater estas medidas do novo centralismo democrático do PSD, e pelos vistos com o apoio das bases. Ora isto faz-nos voltar ao problema inicial, se realmente os partidos forem formados pelas bases, isto tudo não fica muito bem ao PSD... como partido, claro.

      Miguel Bordalo

      quarta-feira, maio 18, 2005

      Creio que não...

      Acho que isto não vai ajudar mesmo nada...

      Miguel Bordalo

      O sindroma Mary Poppins



      Pois é, este país anda à espera da Mary Poppins há algum tempo! São o tipo de coisas que destingue um surfista de um civil qualquer normal, é o sindroma Mary Poppins no caso do surfista português, sempre à espera do vento de leste. Infelizmente não me lembro da última vez que tivemos ventos de leste neste país, anda tudo a dar para o gasto com um on-shore repetitivo, destruidor, chato e frustrante. Precisamos urgentemente de papagaios de papel, de cantar compulsivamente, de tubos e dias perfeitos, daquele spray que contraria a onda... para quando Mary Poppins? Para quando?



      Miguel Bordalo

      terça-feira, maio 17, 2005

      De volta aos cochichos

      Isto está complicado, estes últimos dias já têm sido difíceis de aguentar fora da blogosfera. É uma espécie de catarse diária, e já sinto falta.
      Não posso deixar de responder ao apelo do meu camarada Pedro sobre o jogo do Benfica e como o senti.
      Aqui vai: fui para o sítio de todas as mesinhas, quando corre bem, não dá hipotese, e assim foi, tudo perfeito. Antes do jogo estava um pouco nervoso, e no início também. A equipa inicial era a equipa que o Benfica pode apresentar com a máxima força este ano, apesar de na minha opinião, Miguel não ter sido bem avaliado, entrou com medo e fisicamente diminuido. Fora isso os primeiros quinze minutos serviram para eu perceber que do Sporting não tinha nada a temer, depois da primeira parte, sabia que o Benfica ia ganhar o jogo, aliás o golo foi aos 83 minutos, altura em que normalmente quando é importante já estou a hiperventilar, mas estava calmo, calmo demais, dentro das possibilidades, claro, não estava na praia "ao banho de sol". E porque é que eu digo que do Sporting nada podia temer, primeiro vi a cara de Moutinho no inicio do jogo, parecia que ia para uma intervenção médica de vida ou de morte, depois vi Ronchemback a correr, se é que se pode chamar aquilo correr, e vi Doala (ou lá como se escreve) com um pés que pareciam uns flipers, e uma atitude muito passiva contrastando com a do Benfica, que jogando bem (na minha opinião) ou mal (na de muitos outros), conseguia recuperar a bola com facilidade e alguma agressividade. O Miguel diminuido não tinha ninguém para cobrir, o Dos Santos era sempre muito bem ajudado por Simão que mais uma vez foi mais defesa que atacante, mas os sacríficios de um jogador como o Simão, podem não lhe valer um carinho adicional dos adeptos, mas valem com certeza muitos pontos ao Benfica. E assim foi o Benfica muito superior ao Sporting, que (até compreensivamente), já estava com a cabeça na final da taça UEFA, um empate e pouca corrida, um Rochemback em forma, um Moutinho mais relaxado, um Dualá (será assim) mais concentrado e teria sido bem mais difícil para o Benfica, até porque os lances de perigo do Sporting, tirando um ranço de Dualá na primeira parte foram todos remates à figura de fora da área. O factor Liedson foi também determinante, não tivesse sido estúpido... Quanto ao golo... bem, reparem, quando foi golo pensei que tinha sido falta, vi a repetição e fiquei com dúvidas, quando vejo o Ricardo a levantar-se e a gritar que tinha sido com a mão, foram-se as dúvidas todas! Depois de ver o lance mais uma vez percebi porque é que o árbitro não marcou, é que ele estava de frente e viu que o Luizão se adiantou à bola, e Ricardo fora do lance não conseguiu chegar-lhe, conclusão, mais um belo frango de Ricardo, (já demorava frente ao Benfica) que devia ter socado a bola e não viu o Luizão, e tanto não viu que pensou que o defesa do Benfica tinha jogado com a mão. Portanto meu amigo Chico não foi para dar alegria a filho nenhum. Mas mais sectarismos do nosso companheiro de blogue, que como qualquer sportinguista meio cego achou que Beto tinha sido expulso porque tinha mandado vir com o árbitro do meio da rua, como se a imagem que foi mostrada tivesse contado a história toda!
      Mais do meu amigo ceguinho do Sporting: o clube do outro lado da segunda vai participar da final da taça UEFA, devo dizer que nesse dia não vou deixar de gostar de ver o Sporting vitorioso, mas apenas por uma razão, o meu pai é do Sporting, e vários outros amigos também, não gosto de os ver tristes. Mas analisemos uma frase de nosso amigo Chico "UEFA com eles, e toca a fazer ao CSKA aquilo que o Benfica não conseguiu. Se não ganharem, aí sim, fico chateado!" reparem que quem vai jogar contra o CSKA é o Sporting que nesta frase é sujeito nulo! Decidiu o nosso caro amigo dar ênfase à derrota do Benfica... nem sei o que dizer, são este tipo de coisas que me fazem pensar duas vezes quando dou ânimo aos meus amigos do outro lado da circular... Se fosse o Chaves podem crer que vinha agora dizer o contrário e desejar a derrota desse clube, que só lhe conheço um adepto, o Chico.
      E agora basta de futebol, espero poder escrever mais esta semana sem ser sobre este tema, mas isto anda complicado. Escrevi isto novemente no blogger, que nem sequer dá para copiar, o que aumenta o risco de carregar no Publish... se virem erros, ou não liguem ou digam... aqui vai

      Miguel Bordalo

      domingo, maio 15, 2005

      Líderes

      luisão

      sexta-feira, maio 13, 2005

      De volta

      Estou de volta na segunda? É provável, tenho a máquina a funcionar, esta bomba! Mas estou com alguns problemas, senão vejamos, foi eu hoje mudar o texto de apresentação, porque por vezes temos de ser agressivos, nem que seja na brincadeira, quando queremos algo, por isso revisitei um post do nosso colaborador, muito ausente, Miguel Teixeira, num cheiro do poder do Benfica.
      De seguida vim fazer um post como este, para explicar a minha ausência, e dizer que gostei de ler muita coisa que tem sido aqui escrita, muita coisa teria eu para comentar, mas não vou, não consigo deixar de responder a uma provocação, que como tantas outras acaba inevitavelmente por dar nisto... e ele não é um dos melhores, é o melhor de sempre e os factos estão do meu lado. Seja como for, escrevi, como de costume no word que crashou duas vezes sem que conseguisse salvar o texto, bem maior que este. De seguida vim escrever para aqui, no blogger, e o perigo que é eu fazer isto, que também tem uma considerável quantidade de incerteza no resultado positivo ou negativo da publicação... e não é que ao carregar no botão para publicar, depois de três tentativas, o blogger foi-se abaixo... começa bem o meu retorno à blogosfera...
      Portanto até segunda... e força Benfica!

      Miguel Bordalo

      Show de bola!

      Nervos. Muitos nervos. Será que o Benfica vai ser campeão? Será que vai ser o Sporting? Será que, para mal dos nossos pecados, e muito injustamente, não vai ser nenhum deles?
      Veremos. Tenho medo que o Benfica, com os dirigentes que tem, se não for campeão, se desfaça em lutas de egos e coisas desinteressantes e tristes para quem goste verdadeiramente do Benfica.
      Morrer na praia não será fácil, mas alguém ficará pelo caminho, resta saber quem vai lidar melhor com isso. O Benfica, sedento de vitórias, está numa posição particularmente sensível neste aspecto. E é esse o meu maior medo, porque o meu Benfica, como eu estou farto de dizer, não é obrigado a ganhar nada nunca, porque tudo isto é desporto, mas tem que estar sempre e até ao fim, a lutar pelo melhor possível. E o melhor possível, neste caso, é fazer tudo para ganhar ao Sporting e com alguma sorte, uma ajudinha de Caxinas dava jeito, ser campeão já amanhã. Fica o meu prognóstico. Delibasic vai dar o título ao Benfica. Que vençam os verdadeiros campeões, que serão sempre aqueles que melhor saberão ganhar e perder. Nervos. Muitos nervos...
      Allez le rouge!

      Manuel Castro

      obrigado Chico

      Ao Francisco por me lembrar o meu nome ;)

      Manuel Castro

      quinta-feira, maio 12, 2005

      Posts tudo menos laranjas

      Dois posts muito bem espremidos no Laranja Amarga. Um sobre o Sporting, isto sim é falar de bola, e outro sobre Vasco Gonçalves, numa referência interessante à entrevisa que foi feita ao força força companheiro Vasco, nós seremos a muralha de aço (desculpem não consigo dizer o nome de Vasco, força força companheiro Vasco sem, nós seremos a muralha de aço, cantarolar isto), por José Carlos Vasconcelos na Visão.

      Manuel Castro

      And now, for something completely seita

      teresaguilherme

      Procura-se.

      Manuel Castro

      Play it again, Zé

      Óptimo.

      Manuel Castro

      Multi quê?

      É interessante ver como, depois da libertação de Ivo Ferreira, que eu saúdo fortemente, se passou da relativa unanimidade ao histerismo classificado.
      E mais interessante de ver é ainda a forma como pessoas que noutras ocasiões têm a boca cheia de palavras como multiculturalismo vêm agora carregar no acelarador incutidos por uma pseudo tolerância à escala global -lá se foi o multiculturalismo - e criticar os "moralistas" que, defendendo a libertação de Ivo Ferreira, não deixaram de entender o contexto, que é simples. Os Emirados Árabes Unidos não são o Bairro Alto. Nem Lisboa. Nem Portugal. Nem Europa.
      Não é em Roma sê Romano, é se em Roma há coisas que não deves mesmo, mas mesmo, fazer, não as faças.
      Eu entendo que as pessoas só gostem de usar palavra multiculturalismo às vezes, até porque fica bem e é uma palavra bonita, mas para próxima que se lembrem de como facilmente perderam a compostura com um caso que, felizmente, se resolveu a bem.

      Manuel Castro

      Mas só um bocadinho, ditador mesmo assim à séria não

      Valentim Loureiro acusa Marques Mendes de ser "um bocadinho ditador".

      Manuel Castro

      quarta-feira, maio 11, 2005

      Do melhor!

      O Abominável César das Neves no seu melhor.
      Não sei se é da fraca imaginação, se da comiseração de meia-tigela a disfarçar uma pobre defesa de valores, ou se simplesmente da burrice intrínseca a todos os seus textos.
      Mas olha, força aí rapaz!
      Nunca ninguém me acusou de não dar incentivos morais a maus escritores.

      Francisco Castor

      terça-feira, maio 10, 2005

      Ou de como é nas pequenas coisas que se vê as voltas que a nossa vida dá

      O tomate está caro como o caraças. Dois euros e trinta o quilo? Porra.

      Manuel Castro

      Sobre Ivo Ferreira

      Não posso deixar de vos encaminhar para a petição que pede clemência para Ivo Ferreira, o cineasta detido no Dubai por consumo de haxixe.
      Todos sabemos que estas petições não têm profundidade jurídica mas penso que, quanto mais não seja por solidariedade, devemos participar e dar um, ainda que modesto, apoio ao Ivo e à sua família, porque a sua situação é muito complicada e todos os apoios, ainda que exclusivamente morais, são positivos.
      Convém dizer que penso que o que Ivo Ferreira fez, onde fez, foi de uma irresponsabilidade extrema e por isso é que se pede "clemência" e não "inocência".
      Tivesse ele, em vez de ter dado "dois bafos" num charro nos Emirados Arábes Unidos, fumado dois ou três em Portugal e eu já não diria o mesmo.
      Esta história fez-me um pouco lembrar a de Mark Scanlon, um surfista australiano que foi condenado a prisão perpétua nas Maldivas por posse de cannabis. São situações extremamente complexas e cuja resolução, não menos complexa, tem que ser encarada com alguma paciência e muita prudência. Espero que tudo corra pelo melhor e que o pedido de clemência -até Figo já intercedeu- tenha resultados práticos.
      Para além de vos convidar a todos para enviar textos para o Pastelinho@hotmail.com, para dar a vossa opinião, não só sobre este caso, mas fundamentalmente sobre uma questão que está na agenda do debate político e público, a da despenalização das drogas, queria também deixar em aberto outra questão.
      E se não fosse Ivo Ferreira? E se fosse uma pessoa que não tivesse a família e os amigos que felizmente o Ivo tem? Como seria?

      Manuel Castro

      segunda-feira, maio 09, 2005

      Um post críptico não recomendável a pessoas que não estão para ouvir piadinhas todos os dias

      Tenho ouvido tantos berros dos grandes defensores da verdade desportiva a propósito do Estoril-Benfica que foi, na minha opinião, de um modo rídiculo, mudado para o Algarve que agora, ao ver o Liedson de um modo completamente amador ver um cartão amarelo que o vai impedir de jogar na Luz, lembrei-me -é a minha memória futebolística, como diria o Filipe Moura- de um facto que, espero eu, Dias Ferreira - esse cromo que faz a vida negra a Fernando Seara (esse outro cromo, deviam ser banidos este cromos) - e outros grandes defensores da verdade desportiva, se lembrem.
      É que, precisamente no Guimarães-Sporting da primeira volta, Liedson viu um cartão amarelo que o impediria de jogar o Benfica. Mas resolveu-se a coisa. E jogou. Porquê?
      Porque o Pampilhosa, um clube, já se sabe, carregado no calendário da terceira divisão e o Sporting resolveram antecipar o jogo para uma semana antes, logo antes do Sporting-Benfica. Mera curiosidade. Liedson limpou o amarelo e todos viveram juntos e felizes para sempre.
      Somos todos pecadores.

      Manuel Castro

      PS: Foi o último, prometo. Espero uma grande joga de bola no sábado e.. ok, quero lá saber que seja uma grande joga de bola. Quero é que ganhe o Benfica, de preferência 2-0.

      A reconciliação da Europa

      Don´t mention the war, Basil (John Cleese) no melhor episódio de sempre de todos os melhores episódios de sempre de todas as melhores séries de sempre, The Germans, Fawlty Towers, 1975

      thewar

      Quer-me parecer que já nos reconciliamos à uns tempos.

      Manuel Castro

      No outro lado do mundo

      O campeonato do mundo de surf está estacionado no Tahiti à espera das melhores condições para iniciar a sua etapa de Teahupoo.
      Sim, as melhores condições. Esqueçam tudo o que sabem sobre campeonatos de surf. Esqueçam a praia. Esqueçam, já agora, o Portugal Radical. Isso já não existe.
      Tirando óbvias excepções - os campeonatos mais tradicionais- o novo conceito do Campeonato do Mundo de Surf (WCT) aponta para a realização das etapas em ondas perfeitas, em detrimento do tradicional campeonato de praia, com o tradicional e entusiasmado púbico.
      Para além disso, os directores de prova só iniciam a mesma quando estiverem reunidas as melhores condições possíveis, dentro daquilo que já é supostamente perfeito.
      Congregam-se assim as vontades dos surfistas, em surfar as melhores condições possíveis e das grandes marcas, que juntas, e com os surfistas, fazem um belo negócio a nível de media, pois longe da vista...alguém tem que levar as imagens aos milhares de fãs que querem ver os melhores surfistas nas melhores ondas.
      Claro que os milhares de fãs preferiam ver os melhores surfistas nas suas ondas, mas não vou por aí -só por hoje - para não me alongar muito.
      E agora voltem a esquecer tudo o que vos disse. Porque Teahupoo é outra coisa. A coisa.
      Teahupoo é uma onda que pode facilmente esmagar um surfista. Já o fez. É uma onda assassina cuja perigosidade não consegue ser explicada só por palavras, factos ou histórias.
      É um desafio imenso, uma manifestação pornográfica de toda a força do mar, é algo que não tem comparação. É o Oceano a desabar sobre escassos cêntrimetros de àgua em cima de coral vivo.
      E aqueles tipos, feitos em deuses no Olimpo, estão lá. Para quem não vê habitualmente surf, aconselho estas imagens, porque são uma oportunidade única de se ver qualquer coisa de muito diferente, de muito especial, de muito brutal e de como o surf consegue jogar no meio de toda essa prepotência oceânica.


      dorian


      Manuel Castro

      PS: nos últimos dias, enquanto o campeonato não começa, as ondas têm estado brutalizantes e alguns surfistas têm-se divertido a apanhá-las da única maneira que podem e sabem (nem todos...), rebocados por uma mota de àgua, visto que algumas são ondas demasiado grandes e rápidas para que se possa nelas entrar a remar (nem todos...).
      Neste contexto, vejam as imagens de uma dessas sessões de tow-in, entre alguns lunáticos que entram a remar nessas ondas, e o quase terrível acidente envolvendo dois surfistas, que é uma imagem para nos deixar de boca aberta. O que vale é que, como finaliza um deles depois de sido quase trucidado por uma mota de àgua...[como sempre no surf] "its ok".
      De resto, nem acredito que pus uma fotografia do Shane "arg" Dorian no Pastelinho

      domingo, maio 08, 2005

      À espera dos outros

      O pior do Benfica ter perdido ontem é eu ter de estar a torcer para que os dois treinadores mais inqualificáveis da nossa praça sejam bem sucedidos no seu trabalho este fim de semana.
      Um, a dirigir a pior equipa do campeonato, já fez metade de um bom trabalho. O outro, e o seu bigode de treinador suspenso, espero que dê uma ajuda amanhã. E que deus me perdoe. E que me perdoem por eu estar a pedir a deus que me perdoe. Estou por tudo.

      Manuel Castro

      quinta-feira, maio 05, 2005

      Não há Espiga

      Hoje é feriado. É o da Espiga.
      Eu gosto tanto deste feriado que até me ofereci para ir trabalhar.
      Não há trabalho? É feriado? Não, eu exijo ir trabalhar. Arranjem-me trabalho. Se faz favor.
      A Espiga já deve ser sido um dia giro e interessante, principalmente nos dias bonitos como o de hoje, mas hoje em dia é apenas uma institucionalização daquilo que se faz todos os fins de semana, potenciado ou melhor, exagerado, em quantidade.
      Claro que é giro, as familías, os amigos e tal.
      A coisa desenrola-se em várias fases, em vários locais.
      As gerações mais velhas vão para o Parque de Campismo, enchem aquilo de tendas -até aqui tudo normal, não é? tendas , parque de campismo- fazem uns comes e bebes com a família e amigos, depois comem e bem e logo depois de comer e beber uma última vez vão-se embora para casa, hoje presumo que mais cedo para ver a bola -sim, muito lagarto tem esta terra. Lagarto e belenenses, também tem muito.
      É alias curioso ver como a bola dispersa e desmobiliza neste país, como se fosse um dado adquirido que a bola é para ser ver, custe o que custar. Sim e é.

      Os mais novos ficam-se pela Foz do Lizandro, passam lá a noite nos bebes, levam uns comes para disfarçar, falam alto -mas essa é uma tradição diária aqui. Saem sempre destas noites uns mitos e umas histórias lendárias. Aliás, o parâmetro de todas as comparações -geralmente das bebedeiras - é sempre a noite da Espiga. Há a escala de Ritcher e há a escala da Espiga.
      Talvez a única real razão para eu não gostar da Espiga seja a de que, para além de que eu sou um tipo um bocado embirrante, todos os anos, quando chegava à praia no dia a seguir -nos tempos em que a Foz tinha ondas como deve ser, já lá vão dois anos quase- a praia estava o maior nojo possível. Nunca a expressão day after foi tão bem usada.
      Talvez seja defeito meu, o de ir para a praia muito cedo, mas ver uma praia toda suja e toda porca sempre foi uma coisa que me incomodou -coisas estranhas de um tipo estranho, com certeza.
      E isto podem ser meros instintos reflexivos, mas sempre associei a Espiga a esta imundice matinal. Parecia que estava no sudoeste francês -boas ondas, sim- mas no Dia D.
      O melhor mesmo é eu não pensar nisso. Felizmente há vento e o mar está uma porcaria.
      Vou trabalhar. Sorriso.

      Manuel Castro

      mais crónicas ericeirenses, previsivelmente mais positivistas, mas não prometo nada hã, brevemente no vosso blogue alternativo

      segunda-feira, maio 02, 2005

      É desta que eu volto a falar no Barnabé

      Nos meus sonhos, a caixa electrónica do Pastelinho estaria cheia de reclamações do género "então vocês nunca mais malharam no Barnabé?" -aliás, estaria cheia ponto- e coisas assim, mas, nem uma coisa nem outra. É que não só eu nem em sonhos tenho tido paciência para ler o Barnabé, como, quanto à caixa electrónica o máximo que se tem arranjado foram umas risadas com alguns emails de evangelistas brasileiros que nos contactam para ouvir a palavra de Cristo.
      O Barnabé, que eu lia e criticava com entusiasmo tornou-se numa coisa chata, repetitiva, desinteressante, a acrescer ao que de mau já tinha (e sim, também tinha coisas boas).
      E diria um leitor mais atento "e o Daniel Oliveira?"
      Pois o Daniel Oliveira que sempre foi um personagem demagógico, mas com alguns posts interessantes, tem-se vindo a tornar, qual estrela cadente, num depósito de incoerências intelectuais muito para além do que é razoável.
      E dos últimos tempos em que eu lia o Barnabé regularmente desapontou-me um patético complexo, que ao príncipio até tinha piada, porque parecia mesmo uma piada, sobre a sua ascensão como cronista (quando começou a escrever para o Expresso, "vou-me vender ao capitalismo") e sobre o sucesso do Barnabé, que o transformou em livro (quase a pedir desculpa por ir vender um livro, vender, comprar, esses pecado originais).
      Nunca mais tinha lido mais nada dele desde um execrável artigo sobre Cuba, publicado no Expresso, o mais vergonhoso artigo que li este ano, mais vindo duma pessoa que se diz de esquerda. De esquerda? Calma. Há a Esquerda e há as esquerdas dentro da Esquerda e as esquerdas dentro das esquerdas da Esquerda. Mas, diz que, há mais...
      O homem que se divertiu desde sempre a fala sectorialmente e ao microscópio do PS e do PCP -sim, eu sei, ele conhece o PCP como nínguem, andou nos pioneiros- analisando sem problemas e sem pudor as mais diferentes facções desses partidos, etiquetando e rotulando pessoas e ideias a seu bel-prazer, vem agora, num género de piada que não sai de cima, mostrar um certo incómodo por lhe ter acontecido precisamente o mesmo.
      E agora?


      Manuel Castro

      domingo, maio 01, 2005

      Ao primeiro de Maio

      As soon as your born they make you feel small
      by giving you no time instead of it all
      Till the pain is so big you feel nothing at all
      Working Class Hero is something to be
      Working Class Hero is something to be

      They hurt you at home and they hit you at school
      They hate you if you're clever and despise a fool
      Till you're so fucking crazy you can't follow their rules
      Working Class Hero is something to be
      Working Class Hero is something to be

      When they've tortured and scared you for 20 odd years
      then they expect you to pick a career
      When you can't really function you're so full of fear
      Working Class Hero is something to be
      Working Class Hero is something to be

      Keep you doped with religon, sex and T.V.
      and you think you're so clever and classless and free
      but you're still fucking peasents as far as I can see
      Working Class Hero is something to be
      Working Class Hero is something to be

      There's room at the top I'm telling you still
      but first you must learn how to smile as you kill
      if you want to be like the folks on the hill
      Working Class Hero is something to be

      Yes , A Working Class Hero is something to be
      If you want to be a hero well just follow me
      If you want to be a hero well just follow me


      Working classs heroe, John Lennon

      Manuel Castro

      Nervo à flor da pele

      Pois é, aí há uns dias tinha aqui dito que qualquer equipe que fosse jogar contra o Benfica ia jogar à retranca. Até agora não houve uma equipe que não o fizesse desde que eu fiz o aviso... é que reparem se fosse apenas as equipes aflitas a fazerem-no, naquele típico aflito de ganhar os últimos pontos para a manutenção, mas o Belenenses? Antes do jogo, o treinador do Belenenses prometeu um bom espectáculo, o jogo pelo jogo, expressou a vontade de ganhar, de fazer boa figura. Uma bela figura! O Belenenses não queria perder o jogo a todo o custo, não queria ganhar nem perder, era fazer o Benfica perder pontos, na primeira parte fizeram, por sorte, ou atrapalhação de Dos Santos um único ataque à baliza do Benfica. Na segunda parte até ao golo, a figura foi a mesma, e não é que a seguir ao golo, os tipos começaram a jogar à bola!?!?! O Benfica não pode fazer mais, teve de aguentar o stress até ao final do jogo, depois de 68 minutos em que devia estar a ganhar por três teve de segurar o resultado. O que me parece a mim é que há umas declarações de Petit, muito polémicas, que começam a fazer muito sentido.
      Para finalizar gostaria de insultar Carvalhal na mais baixas das formas, vou poupar o Pastelinho a essa figura. A cobardia impressiona-me.

      PS: post feito em casa de um amigo, estou sem computador, mas tinha de vir aqui falar sobre isto, começa-me a impressionar muito as coisas que se têm passado.

      Miguel Bordalo
      Site Meter