segunda-feira, fevereiro 28, 2005

Seja qual for o resultado

Trapattoni tem sido alvo de propagandas inacreditáveis! Os benfiquistas quais esponjas necessitadas de bodes expiatórios engolem a campanha que não faz justiça a Trap. O Benfica está posicionado como à anos não está no campeonato, tem afastados os principais adversários para a taça, e perdeu na taça UEFA contra uma equipe que nos últimos tempos tem tido muito mais experiência nas competições europeias. Aos benfiquistas que ainda assim ficaram incomodados com o afastamento, nos últimos anos vão ver contra quem é que nós perdemos na taça UEFA. Trapattoni inclusive não tem sido o treinador defensivo que o pintam, infelizmente não tem pontas de lança em forma, (ou de jeito?) e anda muitas vezes a fazer omeletes sem ovos. Os ataques por parte dos benfiquistas a Trap não o desgastam especialmente a ele, mas á equipe, e eu que ainda queria ganhar alguma coisa este ano... assim é difícil! Se o Garoupa vier aqui em baixo chamar ignorantes à massa associativa benfiquista já nem a vou defender, porque realmente, neste momento é!
Seja lá qual for o resultado, viva o TRAP! Mas principalmente VIVA O BENFICA! Que isso é que é importante.

Miguel Bordalo

A cerimónia

Tenho 24 anos e vejo os Óscares há 12, desde pequenino, nos primeiros anos “às escondidas” da minha mãe, (que no fundo sabia, mas como também sabe que herdei o seu fanatismo por cinema fechava os olhos, por uma única vez.) Digo desde já que apesar do efeito “Lord of the Rings” ter finalmente acabado foi a pior cerimónia dos Óscares que alguma vez vi. A principal razão? Prefiro mil vezes ficar acordado até às seis da manhã, do que me deitar às quatro e meia e ter a sensação que não se celebrou o cinema (razão pela qual eu gosto dos óscares). A cerimónia como o próprio Criss Rock o disse só falta recorrer ao take away!
Vou despachar já os pontos negativos! O pior de todos foi o fraco reconhecimento que se deu à maior perda que o cinema alguma vez teve até hoje, a morte de Marlon Brando. Não é que ninguém fez um discurso, ninguém falou da sua carreira ou filmes! O mais influente actor de todos os tempos!
A música é sempre uma parte dos óscares que eu não me importo de perder, é normalmente durante as músicas nos óscares que eu vou reabastecer, buscar comida, bebida e outros acompanhantes de um longo serão. Mas este ano? A desajeitada, feiosa e desafinadíssima «Beitolsoné» cantou três músicas, três! Não bastava uma! Duas e três! Para que não se ficasse só a falar mal da «Peidolsoné» o Banderas foi desgraçar-se com Santana numa das piores coisas que eu vi fazer a uma música que já por si não é grande coisa... Safaram-se imagine-se! os Counting Crows! Que provavelmente recusaram-se a qualquer interpretação da «Feiolsoné»!
Numa critica mais pessoal e mais leve ao contrário do discurso de abertura de Criss Rock não houve um único discurso de jeito... foi atípico, apático, cansativo apesar da correria que não deixou que os intervenientes se libertassem.

O lado bom? À excepção de Ray, que ao contrário do que todos dizem já vi milhares de personagens assim, imitadas à perfeição, não é difícil se alguém for um bom imitador. O que é difícil é criar os personagens, Clint Eastwood e Johnny Depp (eu sei que ele faz um personagem real, mas não há registos desta personagem) fizeram-no e muito bem, (apesar da grande injustiça ter sido Jim Carrey não ter participado na cerimónia e ganho!) Mas com esta excepção não me lembro de uns óscares onde houvesse tanta justiça nos resultados até com Hilary Swank! O filme de Clint Eastwood merecia tudo o que recebeu, assim como “O Aviador”. Scorsese tem de pensar em voltar aos seus filmes mais independentes como o “Bringing out the Dead” que foi feito em 1999 (à bem pouco tempo portanto), ele aí realmente não tem culpa de não ter sido reconhecido. Ou nos outros que todos sabemos, potencialidades para bons filmes Scorsese tem, é pena é que esteja a tentar fazer as grandes produções, não é que as faça mal, até as faz muito bem, mas já sinto falta da sua faceta mais independente. Portanto os óscares técnicos foram para “O Aviador”, os artísticos para “Million Dollar Baby”, com excepção da fantástica Cate Blanchet, e até aí houve justiça! E no argumento original!?!?!?! Pois não fiquei eu surpreendido quando o meu favorito ganhou! “Eternal Sunshine of the Spotless Mind”! Clint Eastwood já devia ter ganho o ano passado à vontade o óscar de melhor realizador, desta vez ficou mesmo bem entregue, é o realizador em melhor forma na actualidade, e mal posso esperar por o seu próximo filme!

Miguel Bordalo

Ps: (não ler a quem ainda não viu o “Million Dollar Baby”) Fiquei surpreendido por dois filmes que tratam da temática da eutanásia terem ganho o óscar, e ainda bem! É um tema que tem de ser muito bem discutido por este mundo fora. Eu ainda escreverei mais sobre o filme de Eastwood, mas isto lembra-me... que RAIO de título em português é que foram escolher para este filme! É um escândalo, porque corrompe o que o que o título original quer transmitir, mas mais grave que isso, o que o próprio filme quer transmitir! “Sonhos perdidos”?

Million Dollar Baby



Há filmes que nos surpreendem, e quando estamos perante um filme de Clint Eastwood já não devíamos ficar surpreendidos. EU não gosto falar dos filmes, muito menos deste, porque qualquer coisa pode revelar este filme e “semi-estraga-lo”... Os actores são... bem é ver. É simplesmente ver! Hilary Swank? Morgan Freeman? Clint Eastwood? Não há palavras…

Miguel Bordalo

Ps: vendo este filme, e alguns atrás cheguei à conclusão que Clint Eastwood não pode ser Republicano!

sábado, fevereiro 26, 2005

Aqui vou eu... para o Porto

O fim-de-semana vai ficar sem posts, quase de certeza, mas fica aqui o passatempo com prémio! Para aquele que adivinhar quem ganha o Óscar de melhor actor e actor secundário, actriz e actriz secundária, realizador, argumento adaptado e argumento original, filme e filme estrangeiro ganha um chocolate, garantido!

Miguel Bordalo

The Aviator



Confesso que estava com medo de ver este filme, por duas razões: embirro profundamente com Di Caprio e tive uma desilusão tremenda com o Gangs of New York, as cenas de acção eram uma vergonha, principalmente quando eram grandes, com homens armados que largavam as armas quando se atiravam uns para cima dos outros, com um Di Caprio profundamente irritante e uma Cameron Diaz absolutamente terrível, (mas posso estar enganado, admito, já ouvi falar bem do filme). Este no entanto é um caso sério, Di Caprio o irritante está fabuloso, não deixa de ser o Di Caprio (mas deixar de ser é só para os grandes). Martin Scorcese consegue o seu filme de uma forma perfeita! Uma das milhares de histórias do incrível anjo caído Howard Hughes. Um filme imperdível! Com uma Cate Blanchett em alta a fazer o papel da melhor atriz do mundo Katherine Hepburn.

Miguel Bordalo

Tarnation



Como é que eu vou explicar este filme... dizer que não o recomendo a ninguém e ao mesmo tempo que achei o filme fantástico e que foi uma das grandes experiências cinematográficas que já tive.



Quando andava na secundária tinha um amigo meu que era homossexual, naquela escola fui o único a sabe-lo, apesar de haver evidentes sinais disso, (apesar de muitas vezes não significarem nada). Uma vez estava ele a falar com um grupo de amigas de quem era muito chegado e disse-me – Miguel tenho que falar contigo urgentemente. – O seu pedido foi tão solene que estranhei, no meu machismo mal conformado e temeroso, sabendo eu da sua escolha fiquei com medo que quisesse alguma coisa comigo, (uma vergonha pensando bem!), mas por vezes as relações fazem-se de expectativas indesejadas. Fomos para um bar e eu até já tinha a história toda preparada para lhe quebrar suavemente que era heterossexual sem dúvida nenhuma e mais e coisa e tal... (uma vergonha...) Quando tudo o que ele queria era explicar-me uma fase da vida dele, desabafar coisas que não podia desabafar com as amigas. (Tudo isto até agora nada tem a ver com o filme, excepto a homossexualidade e como esta escolha torna as vidas mais difíceis.)



Mas o seu desabafo era demasiado sincero, foi um momento aberto, visual, mas também pesado. No fundo ele não queria que eu dissesse nada, apesar das minhas tentativas, queria apenas ser ouvido, que alguém ouvisse a sua história sem o julgar ou sem o pegar como se fosse um filho, (que é como todas as mulheres tratam os homens amigos, como mães.)



Este filme é um pouco isto, alguém que se senta à nossa frente, honesto, aberto a querer contar a sua história, do seu lado, sem preocupações de afastamento, independência ou compreensão. A história da sua vida, ou a história do seu meio?



Achei o filme extraordinário, não só pela forma como apresenta a sua família disfuncional, através de filmagens suas de quando era pequeno e fotografias de quando era pequeno ou ainda não existia. Gosto também de todas as contradições e da forma como apresenta claramente as suas transformações. A sua mãe que é uma pessoa claramente doente, mas que ele nunca a trata como tal, a sua obrigação de a defender assim o obriga. A ignorância, a ruralidade, a religião o conflito de gerações. Não recomendo o filme a ninguém porque não é fácil, não é nada fácil...
Tarnation de Jonathan Caouette. A matéria de que os filmes de culto são feitos...

Miguel Bordalo

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Coisa estranha

Não é que seja certo estarmos num país diferente... mas parece. Uma notícia é muito boa e a outra chega até a ser preturbadora...

Miguel Bordalo

quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Para quando uma estátua ao Petit?

Esta é a minha pergunta! Para quando? É o maior, sempre o mais esforçado, e até ao minuto noventa acreditou, deve ter sido o último no estádio todo a acreditar. O Petit é fantástico! O Petit é realmente o maior. Quanto ao resto do jogo nem vou comentar porque senão seria um post com muitos palavrões e insultos dirigidos aos adeptos do meu clube.

Miguel Bordalo

Aqui vou eu



Nos últimos jogos da Luz estive sempre presente, aliás esta época não me lembro de ter falhado nenhum, que com certeza aconteceu. Mas depois de uma vitória aflita contra o Guimarães, (por vezes têm de ser assim) o meu Benfica vai jogar conta a equipe Russa que não joga nada e que deixamos que nos ganhasse 2-0 com a maior das facilidades... Hoje não espero facilidades, acredito que se os atacantes acertarem pontaria que ganhamos o jogo, mas duvido que não surfamos também... espero estar enganado, comigo o Benfica pode contar sempre com um apoiante indefectível! FORÇA BENFICA!

Miguel Bordalo

Será desta?

Será o novo Código da Estrada, publicado ontem no Diário da Républica e que entra em vigor daqui um mês, um sinal de esperança?
Será que se vai fazer valer perante a genética e civilizacional ausência de educação, civismo e bom senso do português?
Quando será que que o português, o bom do português, percebe que a estrada não é uma montra de masculinidade e que por isso, não vale mesmo a pena os exercícios fogosos de machismo do género o meu carro é maior que o teu ?
Quando é que o "estou bem para conduzir, sei o que estou a fazer" depois do "mais um copo só" é substítuido pelo "hoje digo não"?
Quando é que as pessoas entendem que arriscar um milímetro que seja na estrada não só é estúpido, como vergonhoso para alguém que se diz ser "cidadão"?
Quando é que deixamos de ser um país de Terceiro Mundo?
MCG

Temas recorrentes no Pastelinho

Guiar mal em Portugal

Hoje no Público vem uma notícia mais ou menos animadora para a forma como se guia em Portugal, a maior novidade é realmente surpreendente é que neste momento pode-se perder a carta se se encontrarem crianças à solta nos carros. Sempre me impressionou esta situação, os pais não prenderem bem os filhos... Mas há outras e pretendem mais ou menos fazer com que se tenha menos sentido de impunidade, e apertar na exigencia à preparação para se guiar em Portugal. Esta foi sem dúvida a melhor medida que o último governo fez, não é perfeito, mas não é a trapalhada que Guterres fez mesmo ao sair. Leiam atentamente a notícia, principalmente aqueles que guiam, daqui a um mês tudo isto está em vigor.

Nota para a nova cara do Publico on-line, que é sem dúvida a melhor publicação de informação na internet. Em histórias relacionadas a Quebra Vozes também se refrescou e eu gosto, Bastante!

O aborto na nova legislatura

O BE começou a matar! Logo no discurso de celebração dos bons resultados quis decidir a data do referendo sobre o aborto. Como já expliquei antes neste blogue concordo mais com a posição do PCP que não quer referendo, os direitos não são para referendar. O PS acha que o aborto deve ser referendado, mas se tiver mesmo que ser então concordo com eles, nunca no verão! O BE parece não se importar com uma eventual derrota, para lá de não querer entender que há um calendário político eleitoral muito preenchido neste próximo ano. É preciso nesta história dos referendos perceber que não os basta ganhar é preciso uma certa participação do eleitorado para que conte, para que seja vinculativo.

Miguel Bordalo

Justiça rápida

O árbitro António Costa, de Setúbal , o indicado para o FC Porto-Benfica foi hoje ouvido pela Polícia Judiciária, no âmbito do processo Apito Dourado. Será que é mesmo verdade? Será que esta é mesmo a justiça a funcionar? Será já o PS a mexer os cordelinhos para que a justiça seja célere e eficaz? Será? Será?
Mas calma. Ouvir o homem antes de acontecer o facto? Antes do FC Porto-Benfica? Isto é a verdadeira ficção científica a chegar à justiça portuguesa: a antecipação do crime, a descoberta da verdade antes do acto ilícito, a justiça perfeita. Como terá sido possível? Só encontro uma explicação para tal avanço: a maioria absoluta do PS. É o choque tecnológico. Os meus parabéns à justiça portuguesa e claro, ao PS. MCG

Histórias de um tipo que só queria ser Low. Low Profile.

O pior que se pode pedir a uma pessoa discreta, que é o que eu tento ser ao máximo, é dar nas vistas. Eu não gosto de dar nas vistas. Detesto.
Ora hoje eu sabia que tinha que dar nas vistas. Aliás, já sabia disso há muito tempo por isso adiei ao máximo o que tinha para fazer hoje. Fui hoje pegar no meu carro e levá-lo ao mecânico. Uns quantos quarteirões onde eu sabia, ia ser notado. Não por mais nada senão porque uma pessoa que não notasse o ruído do meu carro num raio de um quilómetro seria surda. Com o escape rôto e caído no chão. Barulho e mais barulho. Aquele arfar à tunning do motor e o som metálico do escape a bater a cada variação da estrada.
Pus um gorro, fiz ar de mau - o pior que tinha- e lá fui. O objectivo era passar despercebido, da Luz á Gomes Pereira, via Califa. Talvez ser confundido com um criminoso num carro roubado, talvez assim as pessoas desviassem o olhar.
Claro que tive que parar antes do fim da minha rua, sair do carro, tentar disfarçar a fraude do meu escape, pelo menos aquele barulho metálico que fazia quando batia na estrada -é perturbador, parece que o carro se vai desfazer. Consegui, encaixei aquilo num sítio qualquer, passei a fazer menos um barulho, o metálico e perturbador, e milagre!, cheguei aos homens dos escapes na Gomes Pereira convicto que quase nínguem deu por mim, só umas quantas centenas de pessoas que pensaram que o circo tinha regressado à cidade.
Bem melhor que o cenário que eu tinha imaginado, em que um gajo numa trotinete faria pouco de mim à frente de dois autocarros cheios e carros e mais carros cheios de miúdas giras. Isto claro, antes de ser mandando parar pela polícia que não acreditava que eu ia direitinho à oficina e que para além do mais achava que o carro era roubado e que era uma grande chatice e que eu tinha que ir para a "esquadra", ao que eu dizia, "mas senhor guarda, amanhã é o Benfica", após o que seria imeditamente agredido, o que talvez me facilitasse a vida neste caso.
Ora ainda bem que as minhas piores expectativas não se confirmaram.
Ultimamente este tipo de histórias têm-se sucedido, pareço um case study de anormalidades, de coisas que não deviam acontecer, mas acontecem, atingindo-me como um soco seguido de arrancar de orelha à mike tyson -depois do mau vem sempre algo ainda pior- a mim, e às minhas tentativas de ser o mais discreto possível.

MCG

Complexo U2

Se António Vitorino aceitar ser ministro de José Sócrates este governo vai sofrer de um complexo a que pudemos chamar U2. É que na prática, Vitorino ser ministro de Sócrates é equivalente a Adam Clayton passar, de repente, a ser vocalista dos U2 e o Bono virar baixista.
MCG

Olha, não sabia

Pedro
Pode ser um texto emocional, raro no meu estilo, mas quero, publicamente, que não existam dúvidas: eu sou amigo de Pedro Santana Lopes, e serei sempre, em qualquer circunstância da sua vida pessoal, política ou profissional, Luis Delgado, in Diário de Notícias

MCG

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

Tiago no Havai III

Quase Saca! Esteve lá, mas neste heat as ondas não apareceram, acho que já é bem bom! Fica a promessa para esta nova época. Correu bem e vai ser este ano! Já não há ninguém que eu goste... vou para o cinema!

Miguel Bordalo

Tiago no Havai II

Vamos agora para outro heat, e agora é contra o mais horroroso personagem no surf da actualidade, o Kala qualquer coisa! Agora não podes deixar passar isto Saca! Força bora lá apoiar na internet!

Miguel Bordalo

Tiago no Havai

O tiago acabou de fazer um perfect 10! no pipeline! Eu e a minha mais que tudo vimos e foi demais! O melhor heat que eu vi na minha vida! O tipo que está em 4º lugar tem uma onda 9.90! Isto está demais! O tiago vai passar certinho!

Miguel Bordalo

Tropeções na blogosfera

Fui hoje recordar um comentário a um post no País Relativo... desculpem! No Henrique Chaves! O Filipe Nunes escrevia sobre o erro de Cavaco e a sua necessidade do partido, dia 11, discordei dia 12 com este comentário (trapalhão como são todos os meus comentários, nunca os revejo infelizmente): Não concordo nada com esta teoria. O PSD vai dar uma volta enorme depois de Santana. Neste momento há três facções no PSD a de Santana que é onde existe mais compadrio e que vai tentar manter o líder seja lá qual for o resultado da eleição, a de Durão que tentará lançar Sarmento, e a de Cavaco, com gente mais séria, mais velha e responsável que apoiará Marques Mendes. Se Marques Mendes se tornar líder do partido, toda aquela gente, expecto o compadrio de Santana (que ainda é algum, é certo), será facilmente recuperada, aliás porque na realidade Cavaco queixa-se só da liderança, todo o mais são especulações e com a previsível derrota de Santana todo o PSD facilmente o deixará cair. Cavaco irá impor-se e provavelmente perde na Madeira, ao contrário de Sampaio, por ironia do destino...E claro que também não concordo que Pacheco percebe de tudo... mas isso é uma luta minha mais dificil de ganhar.” Dia 15 o Humberto Bernardo comenta que me esqueci do Sarmento, por vezes acontece... a verdade é que deu para tropeçar no seu blogue, O Estado de Afirmação, gostei muito, é ir lá ver. (Porque raio é que os novos blogues que eu gosto têm sempre a porcaria dos comentários do blogger! Hoje nem sequer consegui lá comentar!)

Miguel Bordalo

Uns dias de descanso

É verdade, andava cansado. Foram momentos perigosos que Portugal passou, Santana e Portas conhecidos invertores de sondagens, ou nem por isso, falharam na noite eleitoral. Portugal demonstrou sem a mínima dúvida que não está para contemplações Santana e Portas não prestaram e não prestariam! Portas viu tudo e saiu bem, para minha grande surpresa (mas devido aos seus soluços, para meu grande agrado). O PS rebentou as costuras e tem tudo na mão. Eu fiquei cansado destas emoções democráticas, é um sistema frágil, que a qualquer altura nos pode pôr gente estranha à frente dos nossos próprios destinos, mas pelo menos temos algum poder para os tirar dali sem se recorrer à violência. Ainda assim acho que se tem de descobrir algo novo...

A situação Santana

A situação Santana é mais complicada, quantos homens lhe devem ter entrado em casa, gorilas assim grandes, e tipos ameaçadores para o obrigarem a tomar a decisão por ele próprio para abandonar a liderança do PSD? Não me venham com histórias que o próprio Santana no seu discurso é contraditório, primeiro diz que ficou claro na noite de domingo que ia haver a sua demissão, enquanto lê o discurso, (escrito por ele? Estou convencido que nem sabia o que lá estava escrito.) Quando o jornalista lhe pergunta directamente se ele não pensava em concorrer no comício novamente à liderança do PSD, ele com aquele ar de abúlico autista disse claramente que sim.
Seria tão prejudicial para o PSD que Santana se candidatasse novamente para a liderança do PSD como tê-lo como líder até depois das autárquicas. As confusões que iria criar seriam insustentáveis, e há muita gente dentro do PSD, tal como no PS, que pensa sempre em alternativas de sisão quando está em vista o seu próprio protagonismo. E digo-vos, não estará longe de acontecer nestes próximos 15 anos, talvez mais cedo.
Santana foi afastado, o PSD pode respirar durante uns tempos.

E o PS?

O rescaldo não está a ser bom. Se houve algo de extremamente negativo nos dois anos e meio de Durão com Marques Mendes e Manuela Ferreira Leite foi a arrogância, a falta de transparência, não nos esqueçamos a quantidade de inquéritos parlamentares que estes impediram, a situação continuou claro com Santana. Mas a arrogância de uma maioria demonstra-se mais facilmente com Durão, que se recusava muitas vezes a responder aos Verdes no parlamento, será que Sócrates responde ao PM e ao PT e mesmo aos Verdes? O que tenho visto não augura grande coisa, parecem-me discursos arrogantes já à partida por parte do PS. António Vitorino foi o primeiro, eufórico a desviar-se dos jornalistas em vez de agradecer e pedir paciência às perguntas dos jornalistas disse um grave “HABITUEM-SE!” Sócrates fez um discurso algo desastroso, e outros membros do PS seguem-lhes o caminho. Na blogosfera consegue-se perceber bem o estado de espirito dos partidos, e repare-se como o discurso já está pomposo e distante em vários blogues do PS.
A ver vamos...

Miguel Bordalo

Noticia de última hora!

Não só para a assembleia da republica deste país acontecem eleições, também aconteceram para a associação de estudantes da universidade de Évora, e tenho o prazer de anunciar que o próximo presidente da associação é um grande amigo nosso, apesar de algumas vezes divergente politicamente. Este nosso amigo de muitos anos é o Miguel Cachão e ganhou a eleição mais concorrida de sempre, com 1840 votos, apesar de apenas ter ganho por 50 sabemos que de certeza será um trabalhador incansável para resolver os problemas dos alunos todos dessa grande universidade. Quanto a mim só me resta desejar boa sorte para um ano de muito trabalho, mas também de muita luta!!

Miguel Teixeira

As eleições

Para evitar grandes testamentos - é sempre assim, eu escrevo uma vez por semana 230 posts e depois vou-me embora - vou tentar ser o mais sintético e prático possível na minha opinião sobre as eleições de passado domingo.

Mais +

PS - É o único que pode falar em grande vitória, porque foi o único que a teve, a grande vitória. Ganhou com maioria absoluta e atingiu todos os seus objectivos. Mas não deixo de notar que um partido essencial na história e com uma presença activa na nossa democracia só tenha conseguido a maioria absoluta agora, e com José Sócrates (!!), quando não a conseguiu com Mário Soares e António Guterres. Teve-a em circunstâncias absolutamente exepecionais, não é todos os dias que o primeiro-ministro é Pedro Santana Lopes com um governo pior que péssimo. Que isso seja bem entendido pelo PS, quer o contexto, quer as circunstâncias em que teve esta vitória. E que o PS perceba que a esquerda não vai parar, não vai esmorcer, vai estar atenta e não vai deixar que maiorias absolutas adormeçam o país numa espécie de letargia intelectual e social. Dos nomes que já se ouviram para o novo governo, há dois que enchem o olho (Freitas do Amaral e Sobrinho Simões), espero que seja um sinal que este vai ser um governo nivelado por cima, em qualidade e vontade. Considero também importante e fico contente com os resultados socialistas em Viseu e sobretudo, na Madeira, região para a qual chamo a particular atenção. O que se tem vindo a passar na Madeira é muito interessante e animador. Estaremos a assistir à queda de um anjo chamado Alberto João?

CDU - Ganhou votos, ganhou eleitores, ganhou deputados. Inflectiu a tendência, tida por muitos como irreversível. Foi a vitória, em meu entender, de um modo de fazer política diferente. Perdeu um deputado em Setúbal que seria importante para marcar mais a diferença em relação ao Bloco, por um erro estratégico clamoroso, que foi colocar Francisco "o Delfim" Lopes como número 1, em vez da já mítica Odete Santos. Um deputado que faria toda a diferença. No entanto, voltou a eleger Agostinho Lopes em Braga -justíssimo, ele que fez um trabalho a todos os títulos notável no Parlamento - e elegeu outro deputado em Lisboa e outro no Porto. Jerónimo foi a cara duma campanha séria e verdadeira que teve lógicamente o meu voto.

BE - Se com a CDU venceu um modo de fazer política, com o BE vence outro. Vence a política telegénica, o sound-byte puro. Merece os meus parabéns porque se tornou uma força nacional, com uma base de apoio não diria forte, mas ampla. Roubou claramente votos ao PSD. Ganha sobretudo, Franscico Louçã. Se os cérebros do Bloco são Luis Fazenda e Miguel Portas, Louçã é a alma. Tribuno brilhante -a demagogia não lhe retira essa qualidade- conquistou, com o seu discurso, (foi ele e mais nínguem) o espaço que o Bloco nunca teve. Com o Pedro questiona, será o PRD do século XXI?


Jorge Sampaio - Jorge Sampaio não provou ter razão. Provou sim não ter razão quando conduziu Santana Lopes ao governo. Quem provou ter razão foram os portugueses que se indignaram com esta decisão e que lutaram para que o povo português se pudesse expressar da forma mais legítima e democrática possível sobre o futuro do país: nas urnas. Ainda assim, o seu mea culpa merece uma evidência positiva, porque foi tudo menos uma decisão fácil. Sabia que se ia colocar no centro dos insultos gratuitos e de ataques políticos rastejantes, mas teve a coragem de voltar atrás.

Menos -

Santana - Estava escrito nas estrelas que Santana Lopes e o PSD iam ter uma derrota histórica. Assim o foi. Santana foi vítima dele próprio, da sua megalomania, do seu ego, e sobretudo, da sua perfeita incompetência para governar seja o que for, quando mais um país. Atenção ao novo PSD que pode aparecer em breve. É um adversário que não se deve subestimar.

Portas - Pediu tudo e tudo falhou. Ambicioso sem sustentação prática para essa ambição -viram-se os resultado - foi vítima de um discurso demasiado cansativo e estruturado -e pouco estruturante - que fez com que a máscara caísse. Saiu e deixou o seu partido literalmente orfão. O PP, sem Portas, é uma incógnita absoluta.

PNR - 9365 foi o número de voto que os neofascistas tiveram. Se fossem dois, já seria mau. As ligações cada vez mais evidentes entre o PNR e novos grupos violentos neonazis que emergem em Portugal com uma facilidade incrível, tem que ser posta a nú e tem que ser feita um reflexão muito séria e tomada de medidas muito urgentes para travar este fenómeno.

MCG

PS: foi um testamento à mesma. paciência.

Portas TV

Alguém, o Rui Tavares, finalmente parece dar uma pista certa sobre o futuro de Paulo Portas, ainda que encaixada em vários cenários, uns mais fantasiosos que outros.
Neste momento tenho poucas dúvidas que Portas vai voltar, aos poucos, a dedicar-se ao que mais gosta, a fazer jornalismo - para já chega de brincar aos políticos - e é assim que vai tentar reconstruir o mito, mesmo que isso não implique nenhuma ambição política. Parece-me que o ideal, para ele, é mesmo uma homília à Marcelo Rebelo de Sousa - e na própria TVI. Veremos até que ponto Portas nos conseguirá surpreender, de novo.
MCG

Foi há 18 anos

zeca

Há dias que não se esquecem.


Maio maduro Maio
Quem te pintou
Quem te quebrou o encanto
Nunca te amou
Raiava o Sol já no Sul
E uma falua vinha
Lá de Istambul
Sempre depois da sesta
Chamando as flores
Era o dia da festa
Maio de amores
Era o dia de cantar
E uma falua andava
Ao longe a varar
Maio com meu amigo
Quem dera já
Sempre depois do trigo
Se cantará
Qu'importa a fúria do mar
Que a voz não te esmoreça
Vamos lutar
Numa rua comprida
El-rei pastor
Vende o soro da vida
Que mata a dor
Venham ver, Maio nasceu
Que a voz não te esmoreça
A turba rompeu

José Afonso, Maio Maduro Maio

MCG

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Nem a matemática safa

Segundo vários pensantes da esquerda bloguísitca portuguesa -basta um exemplo- a CDU não subiu nestas eleições. Foi, atenção ao elogio, "previsível". Nem vou tentar perceber os porquês de uns e de outros, mas uns surpreederam-me mais negativamente que outros, com análises eleitorais perfeitamente alucinogénicas. Provavelmente ainda estarão atordoados com a maioria absoluta obtida por esse grande e carismático homem de esquerda de nome José Sócrates, mas a verdade é que há aqui qualquer coisa que me está a escapar.
É que, segundo percebi - mas isso posso ter sido só eu que ainda não acabei o meu curso, sou um bocado iletrado- a CDU tinha metido mais um deputado pelo Porto, outro por Lisboa e outro por Braga, perdendo um em Setubál, é certo, mas aumentando, quer em número de votos, quer em percentagem. A tal CDU que aparecia em todas as sondagens em quarto, ou mesmo quinto lugar. A tal CDU do "irreversível declínio eleitoral" e da "erosão". Enterrada com sarcasmo. Fenómeno sociológico, Filipe Nunes? Fenónemo sociológico é eleger um primeiro-ministro como José Sócrates, com maioria absoluta pelo Partido Socialista, isso sim é um autêntico fenómeno sociológico.
Mas, para confirmar, porque posso estar enganado -eu sei que ainda me vão dizer que os eleitores da CDU são manetas e por isso contam só como meio voto- parece que vou ter que esperar para ver a tomada de posse do parlamento e confirmar, com os meus olhos, para ver quem é que se anda a trocar todo, a tentar trocar tudo e a tentar trocar todos, tanta é a vontade de marcar território com mijadelas inconsequentes ou apagar a verdade dos factos com ilusionismos baratos, sem a mínima necessidade, senão a necessidade de não fugir a uma corrente instalada que adora recorrer a lugares-comuns e a muitas inverdades, para caracterizar algo que não conseguem -e isso é que os incomoda- compreender e controlar.
MCG

Surpreendente ou talvez não

Um jogador em claro sub-rendimento, por medo, escondido do jogo, por cautela, e afinal de contas, parecia que era inevitável Simão Sabrosa ser afastado do jogo com o FC Porto. MCG

A vitória?

Eu até tinha vontade, e muita, de escrever sobre as eleições, mas depois de ler os supostos blogues de esquerda (mas porque é que eu insisto em espreitar a merda do Barnabé?) fico com vontade é de voltar de onde vim e fingir que não li nada.
Parece que a esmagadora vitória da esquerda durou cinco minutos e nada mais que isso. E que, nesses cinco minutos, houve gente muito mal disposta, na esquerda, com a esmagadora e inequívoca vitória que toda a esquerda teve. É claro que do cinismo ao ressabiamento, entretanto, já passaram dois dias. Eles andam aí, portanto, em força e com a boca a fugir para uma verdade que não renega a origem. O melhor mesmo é ir ler blogues de direita - como se eu o conseguisse - e tentar voltar à carga mais logo.
MCG

Adeus

Santana Lopes abandona a liderança do PSD. O que mais me surpreende é que ele, segundo já tinha ouvido na SIC-Notícias e segundo a notícia da Lusa e do Público, tomou a decisão "sozinho". Sempre na corda bamba, Santana Lopes, sempre na corda bamba. Como é que ele lá chegou e tirou esta importante conclusão "sozinho"? MCG

De regresso

E pedindo desculpa por não ter completado o quintento de posts "cinco posts, cinco partidos" -talvez em breve, como retrospectiva histórica os coloque online- gostaria de, primeiro, lamentar a mudança de nome do blog País Relativo para Henrique Chaves. Essa era uma das razões pela qual eu não queria a maioria absoluta do Partido Socialista. MCG

segunda-feira, fevereiro 21, 2005

Mário Soares multado?

É que há com cada uma! Então não é que no dia das eleições ouvi vários meios de comunicação social a relatarem que Mário Soares tinha apelado ao voto na maioria absoluta do PS ao pé das mesas de voto! Depois tinha-se apenas referido a uma maioria absoluta, e agora finalmente admitiu que acreditava numa maioria absoluta do PS. A minha reacção inicial foi de espanto, o Soares deve estar um pouco chéché e falou sobre questões eleitorais ao pé de uma mesa de voto... mas não é o meu espanto quando começo a aperceber-me da mudança de versões na comunicação social.
Hoje o meu espanto é total quando vejo a reportagem. É que é a jornalista que fala na maioria absoluta do PS, se alguém tem de ser multado entre 50 cêntimos a 5 euros é a senhora jornalista que pergunta a Soares – “acredita numa maioria absoluta do PS?” E Soares diz – “Acredito” Não devia ter dito? Devia ter evitado a pergunta? Talvez. Mas a iniciativa não foi dele, evitou falar de qualquer outra coisa, referindo-se apenas à pergunta directa da jornalista. Porquê tanto alarido? Porque animais acossados...

Miguel Bordalo

Uma contra ameaça

As sondagens pelos vistos ficaram praticamente todas muito perto da realidade, nem aí Santana pôs os pés no chão, continuando no seu autismo esquizofrénico. O que gostaria eu que as empresas de sondagens se juntassem e ameaçassem Santana com um processo em tribunal, por calúnia! Eu sei que não resultaria em nada, mas pelo menos obrigaria Santana a falar sobre isso, e faria com que Santana levasse mais uma estalada, porque todas as que cairem ao chão perderam-se!

Noutro tema, Nuno da Tâmara Fereira (eu não gosto de por o nome desta gente bem neste blogue, é que depois posso arriscar que se entre no pastelinho numa procura da internet) foi eleito por Lisboa. Mas não posso deixar de ficar satisfeito com a minha cidade! Não só o PP ficou em último, como o PSD ficou com números absolutamente inacreditáveis e lugares que se davam como garantidos, não o foram, e o tal fadista monárquico ficou até ao fim a pensar que podia não ter ficado. Foi pena, mas desse valor a esta cidade que tentou! E não conseguiu porque não se noticiou o facto o suficiente.

Miguel Bordalo

Futuro da costa

O PAS faz na capital uma análise importante sobre o futuro de alguns aspectos da vida do litoral português. É ler e pensar nisso.

Miguel Bordalo

Ao comentador da noite

Ainda hei de fazer um texto sobre este vil personagem, Marcelo Rebelo de Sousa. Hoje ao comentar o discurso de Sócrates mentiu, e foi mal intencionado, quando Sócrates aparece no púlpito e diz “conseguimos!” não diz “consegui” como Marcelo defendeu, de propósito, insistentemente, mal intencionado, e como este, houve vários comentários deste género ao longo da noite. Felizmente estive mais localizado na TVI que teve sem dúvida nenhuma a melhor noite eleitoral, a mais representativa, a mais actual e a cima de tudo tiveram as melhores previsões, até aí ganharam!

Estou agora a ver a Sic notícias e realmente esta televisão não quer ir a lado nenhum! Tem dois comentadores péssimos, de direita, e um intermédio. E quer dizer! A Sic notícias tem melhores comentadores de direita que Luis Delgado e Martin Avilez Figueiredo! São ainda piores que o Marcelo, mas ao menos estes não tentam disfarçar nada! O Martin acabou de dizer, numa crítica disfarçada a Sampaio, que o povo Português não respeitou o pedido do presidente, e acusou o povo português de ter dado força a mais à esquerda! Isto não vos parece demais? Ninguém lhe diz nada? Foi este Martin que no outro dia dizia que em questões económicas não discutia as propostas e as prestações dos partidos mais à esquerda, por estarem fora do sistema. UM COMENTADOR! INDEPENDENTE! (ou não!) É uma vergonha para a Sic notícias.

Miguel Bordalo

Os números

A nível de votações há situações engraçadas! A esquerda tem cerca de 65% das votações, onde foi o PS buscar 45%? Ao PSD fragilizado, com um percurso governativo desastroso e uma campanha ainda pior! O PP manteve mais ou menos os seus eleitores, perdendo aqueles 2% a 3% das classes mais baixas que não encaixaram bem a nova imagem sintética de Portas e espalharam-se.
O BE? O bloco com 6,4% tirou votos a quem? Sinceramente acho que a quase ninguém, um pouco ao PCP, um pouco ao PS, e muito ao voto em branco e aos novos votantes. Esta é a realidade do BE? Não sei, acho impossível de saber, parece-me que os novos votantes são o factor que o BE tem de ponderar mais, e saber como manter.
A CDU? Eu acho que este é o valor real da CDU em Portugal, exactamente, é para mim claro que o PCP tirou votos ao PP, mas será uma quantidade semelhante aos que são do PCP e fazem o voto útil (o verdadeiro) no PS. Manterá a CDU esta votação?

As próximas autárquicas vão ser a pedra de toque do valor real dos partidos actualmente, talvez com uma euforia do PS em alta, o PSD irá já com uma nova liderança, recuperará os grandes desiludidos que votaram no PS em protesto, o PP parece-me manterá tudo na mesma. Mas sem dúvida que será mais equilibrado e mais demonstrativo do mapa político em Portugal que infelizmente não tem tanta representação na esquerda. Mas talvez seja agora responsabilidade, uma responsabilidade acrescida, do PS de garantir que as coisas se mantenham mais ou menos assim.

Resultados:

PS: 45,05% (120 deputados) 2.573.302 votos
PSD: 28,69% (72) 1.638.931
CDU: 7,57% (14) 432.139
CDS-PP: 7,26% (12) 414.855
BE: 6,38% (8) 364.296
PCTP/MRPP: 0,84% (0) 47.745
PND: 0,70% (0) 39.986
PH: 0,30% (0) 16.866
PNR: 0,16% (0) 9365
POUS: 0,10% (0) 5572
PDA: 0,03% 1604
Votantes: 5.711.981 (65,02%)
Abstenção: 3.072.721 (34,98%)
Brancos: 103.555 (1,81%)
Nulos: 63.765 (1,12%)

Ps: chamda de atenção, claro, à vitória do PCTP/MRPP no espaço dos partidos não representados. Não é ainda este ano que o parlamento se vai virar de pernas para o ar!

Miguel Bordalo

As eleições

Eu já o disse aqui, o meu voto foi para a CDU, quis reforçar a esquerda, tentar impedir uma maioria do PS. Houve três vencedores: o maior foi o PS, os números falam por si, o PS conseguiu aquela que foi a maior vitória de sempre na democracia portuguesa, com mais votos e mais deputados; a segunda vitória foi a do BE, que é um partido que vai viver um período decisivo, vai ser representado por vários deputados e continuará a sobreviver apenas de Louçã? É um aumento de votos exponencial e a afirmação de um partido novo, poderá o bloco aumentar ainda mais a sua votação, sem os fantasmas do comunismo a abater-se no seu nome? Depois a CDU, que para mim não teve a maior vitória a nível eleitoral, (em comparação com o PS e o BE, porque aumentou dois deputados), teve a maior vitória anímica e é a vitória mais saborosa que os actuais dirigentes do PCP podiam ter, chamados de ortodoxos, ameaçados de caírem da desgraça, impuseram-se com todo o mérito como 3ª força política em Portugal, tinham esse objectivo tal como o PP e tal como o BE. Nos partidos pequenos é o que ganha a esse nível, e serve para aqueles que gostariam de formar o PCP num partido diferente, reflectirem, porque não resultou nunca noutros países, e esta solução actual tem provado manter e até aumentar votações.
Depois os dois derrotados, o PP que tem uma derrota por duas razões, porque diminuiu a votação, o que é evidente, mas principalmente porque foi demasiado ambicioso, e sempre muito plástico, muito mascarado. As suas metas eram impossíveis e isso provou-se, daí a sua derrota. O PSD saiu ainda mais derrotado! E o seu líder Pedro Autista Santana EU Lopes não facilitou e promete mais instabilidade dentro do PSD, com mais feridas e mais sisões. Os Santanistas que têm muita gente em lugares certos, os Barrosistas e os Cavaquistas, vão ser 3 candidatos: o autista, Marques Mendes ou Manuela Ferreira Leite, e um homem da ala Barrosista que será Morais Sarmento apesar da sua relutância hoje, escolher outro significará derrota.

Miguel Bordalo

Eu Santana, eu

Santana é autista! O seu discurso, como ou pior que a sua governação só pode ser indicativo de autismo. Parece viver noutro mundo, parece não entender muito bem onde está, e como lá foi parar. Claramente não entende a sua própria incompetência, não entende o facto que as pessoas não gostam dele, das suas trapalhadas, do seu modo de fazer política, não entendeu que falhou a todos os níveis desde que foi empossado como Primeiro Ministro, a sua campanha, as pessoas com que se rodeou.
Portas deu mais gozo no seu discurso, mas sai desta eleição com muito mais elevação que Santana que agarrado e autista insiste em manter-se na liderança do PSD. O seu fim será um drama, vão cair-lhe em cima os próprios (e os poucos) que o apoiaram nestes tempos. Santana terá tudo o que merece e garantiu com esta decisão meia louca que não terá mais vida política no dirigismo do PSD. Felizmente! Ainda que isso vá a longo prazo sair caro à esquerda, não tem importância, é necessário para o país um PSD competente.

Miguel Bordalo

domingo, fevereiro 20, 2005

QUE MOMENTO!

Hoje vi e gostei de Paulo Portas a falar! Foi brilhante! Toda aquela raiva reprimida. Não lhe caiu a máscara e manteve o sentido de estado correndo a chorar para os bastidores! Nobre Guedes nitidamente magoado com o choramingo de Portas atirou-se ao comentadores, esses comunas! Estão de cabeça perdida, e até é bonito ver!

Miguel Bordalo

As televisões

Comecei por ver na SIC, o circulo de comentadores é representado por um homem do PS um do PSD e outro do PP, uma vergonha! Mudei! Na RTP encontram-se dois homens de direita um que não sei o que representa o outro um estrábico do PSD (politicamente estrábico), que se está a lançar para uma futura liderança não como cabeça mas como cérebro, um enganador, desonesto e interesseiro! Mudei fiquei na TVI que é a televisão que nós conhecemos mas ao menos é representativa! E pronto... estou a ver a TVI com aquela “jornalista” (Constância Cunha e qualquer coisa) insuportável à frente do esmagador (que não se coíbe de enfiar o dedo na frita) Miguel Sousa Tavares.

Miguel Bordalo

A derrota da direita

Depois da maioria do PS, a única coisa que me desagrada um pouco, a derrota da direita é para mim uma alegria imensa! Um desejo profundo que se tornou realidade! Vou para a frente da televisão, não para ver os alegres brindes das esquerdas, mas para ver as gentes de direita que arrastaram este país para o fundo, e nunca se preocuparam com isso, a falar e a justificarem-se! O que eu vou gostar de ver a cara de Portas quando se preparar para falar! E Santana que deve continuar abúlico e num choradinho que ninguém gosta dele! Fantástico, tem tudo o que merecem!

Miguel Bordalo

A maioria

A única certeza que se tem a nível de resultados é a maioria absoluta do PS. É pena, lutei contra isso, contra a tendência que o PS tem de governar à direita, muitas vezes mais à direita que o PSD. Não consegui, mas a outra esquerda, a CDU e o BE ficaram com resultados também eles muito bons, é necessário trabalho e seriedade.

Miguel Bordalo

E PIMBA!

A esquerda portuguesa tem uma vitória histórica. Grande parte desta vitória deve-se a dois homens, Santana e Portas! Muito vou gostar de os ouvir falar hoje...

Miguel Bordalo

Estou nervoso













Miguel Bordalo

Agora é com vocês!

Neste dia mais que nervoso agora é com eles!

Miguel Bordalo

sábado, fevereiro 19, 2005

Estou reflexivo





















Miguel Bordalo

sexta-feira, fevereiro 18, 2005

Vamos lá a isto!







Miguel Bordalo

O dia D

O dia da democracia para Portugal... Domingo vai ser um dia muito importante para Portugal. É essencial que o povo, o povo na verdadeira acessão da palavra decida sobre o futuro deste país, definitivamente! Acho que a participação é essencial, espero que domingo a esquerda ganhe e ganhe bem! Durante uns largos anos! E que depois se governe à esquerda, se governe com coerência, com honestidade, com rigor e principalmente com fraternidade e preocupação para com os mais desprotegidos.
Amanhã é o dia de reflexão, o Pastelinho vai respeita-lo, vai ser um dia de nervoso miudinho, vai ser um dia a mais, só quero é ir votar! Pôr lá o meu voto e saber que fiz a minha parte.
Domingo bom voto!

Miguel Bordalo

O primeiro filme do King Card



Ontem fui ver o “Kinsey - Let’s Talk About Sex”, o filme é muito bom! Recomendo a todos! O filme é sobre a vida de um investigador de sexo, é um drama bem concebido, com alguma piada à mistura, porque o sexo a isso obriga.



Não vos vou revelar nada, não gosto de o fazer, mas quem gosta de dramas leves com laivos de comédia e critica social tem de ver este filme! Até porque tem Liam Neeson e Laura Liney em bom nível, com uma boa realização de Bill Condon. E nesta senda de personalidades norte americanas não espanta que a produção seja de Scorsese.

Miguel Bordalo

A Seita

Porque é que eu escolhi a palavra seita para o movimento que se anda por aí a formar? Porque um grupo de pessoas meias loucas que andam a professar que Shumacher se parece de algum modo com Teresa Guilherme só para denegrir a imagem do maior piloto de todos os tempos, não pode ser algo racional, nem muito menos o pensamento generalizado! Só pode ser portanto algo irracional e insano que só podia aparecer no grupo dos meus amigos da blogosfera! O pior é que parece que a seita se torna a cada dia mais apetecível, aqui vai a lista dos infectados, todos eles por agora têm um blogue, vai ser fácil identificá-los:

Grande Líder Branquista – Água em Pó – é o fundador da seita maldita, o homem responsável pelo deflagrar da irracionalidade! Ainda assim tem ideias mais alargadas para esta seita, ideias que apelam mais à razão, e que qualquer incauto como eu desejaria participar numa seita como esta... mas cuidado... é tudo engano e disfarce para obter o poder sem contestação.

Ogre – Blogre – é o responsável pela segunda candidatura ao lugar mais alto na hierarquia da seita. Parece ser bem mais ortodoxo que o fundador, mais concentrado e objectivo. Apesar da sua clara falta de talento para escolher siglas, ainda que o conteudo do nome tivesse algum sentido. O tiro no pé poderá tornar-se claro.

CPC – Quebra Vozes – Um membro acidental mas não menos radical desta seita! Terá novos horizontes? Novas prespectivas, ou a escolha de projectos será o seu único objectivo?

Eskimo – Eskimo – Este elemento da seita é uma caso sério! Para lá da sua insistencia em analogias culinárias já ameaçou fazer uma revelação pública da associação entre os dois personagens! Esta mulher tem de ser parada! Impedida imediatamente de futuras radicalizações na seita... ou talvez não...

MCG – Pastelinho – Este elemento ainda não sabe que faz parte da seita. Anda perdido num retiro espiritual, mas temo que quando voltar quererá o poder, tanta é a sua ânsia pela defesa desta ideologia irracional! Poderá ser um catalisador perigoso.

Serras – Serras – Este novo membro tem vindo a extremar as posições, é muito agressivo, mas ainda não entendeu bem onde está metido. Não tem consciência das hierarquias nem de “modos operandis”. Poderá ser um rode golpe na seita como pólo gerador de instabilidades. E gostaria de o ver a candidatar-se ao lugar de líder da seita, seria interessante...

LMG – The Garoupini Chronicles – este já por si extremista de direita é o novíssimo membro da seita. Mas não estou convencido dos seus reais objectivos e intuídos, na realidade qual é a sua motivação? Terei de estudar melhor este personagem dentro da seita...

Mas na realidade queria aqui propôr uma forte candidatura bipartida, juntas ganharão com certeza o liderança e assomirão a sua chefia. E não faço isto porque acho que se elas o fizerem e devido à sua falta de interesse sobre o caso, haja um sisão na seita e esta história acabe PARA SEMPRE! Não. Não são esses os meus verdadeiros motivos...
Eskimo e CPC devem candidatar-se ao lugar máximo da hierarquia da seita senão vejamos:

Programa CPC e Eskimo
Chefe de campanha Dias

1 – São as duas mulheres, terão uma facilidade enorme de comunicação e de elegância, todos sabemos que as mulheres são melhores que os homens neste aspecto. A Eskimo contribuirá com chocolates.

2 – As duas são excelentes cozinheiras imaginem o que não seria uma reunião da seita? A Eskimo contribuiria com chocolate quente.

3 – Poderão mais facilmente criticar os aspectos físicos da Teresa Guilherme sem se preocuparem com criticas feministas, ou serem chamadas de machistas. A Eskimo estaria todo o tempo a criticar acompanhada de um bolo de chocolate com nozes.

4 – Poderiam facilmente descrever os atributos físicos de Shumacher, sendo mulheres, não haveria uma semana depois insinuações à escolha sexual das líderes. A Eskimo poderia até apresentar a receita secreta dos povos aborígenes australianos, uma receita com chocolate!

5 – Serão capazes de analises mais cândidas, mais introspectivas e com certeza mais francas e abertas sobre os problemas da seita e dos seus membros. A Eskimo falaria também das suas viagens e dos mil e um doces que descobriu, alguns deles com chocolate.

6 – Os insultos seriam de bom nível e controlados, sem grandes calões ou palavras ordinárias, que as mulheres não vão muito à bola com isso. A Eskimo poderia até pedir ajuda à CPC para confeccionarem um bolo de chocolate com bolachas e café. (Eu odeio café, mas como não sou membro da seita, não seria necessário come-lo. Eu sou apenas um empregado a prazo na duração da campanhã.)

7 – Por vezes apoiar Shumacher, variar um pouco o insulto e a demagogia. Tentar centrarem-se um pouco na razão (apesar de que neste caso não sei se as suas condições femeninas vão ajudar muito...) Torna-se então num objectivo! Mars, Twix e Lion estarão disponíveis nestas reuniões, a Eskimo encarregar-se-á disso!

8 – A TG e o MS não têm realmente nada a ver um com o outro, e as duas iniciarão um processo de desintoxicação que não só fará com que todos os seus membros abram os olhos à realidade, como farão com que se apercebam que MS é realmente o mais fantástico piloto de todos os tempos, mesmo com carrinhos de brincar! Nestlê chocolate simples, Cadburry e o chocolate da vaquinha azul que não sei o nome, estarão disponíveis nesta reunião, desta vez será a CPC a encarregada, a Eskimo começa a ficar cansada de tanta responsabilidade. (O dinheiro não será problema devido à cota elevada que os membros da seita necessitaram de pagar, não é para elas próprias, mas para melhorar as condições do templo que já é velho e necessita de reparações.

9 – CPC e Eskimo estarão nos finais de todos os encontros ao pé da porta, despedindo-se de todos um a um com uma qualquer guloseima para distribuir...

As próprias irão melhorar o projecto ao longo do tempo, ainda não estamos perto de um momento decisivo, que não se sabe se irá ser democrático ou tomado pela força.

Miguel Bordalo

Fé na Democracia?

“A democracia é o pior dos sistemas com a excepção de todos os outros” esta é uma frase muito conhecida e reutilizada, de Churchill. E mostra que a única hipótese de se ser democrático não é através da sua definição, não é através de uma convicção racional, é apenas por acreditar nela, um acreditar semelhante ao da fé. Platão escrevia à uns séculos pela boca de Sócrates que não era por toda a banda estar a tocar mal que ele também tinha de falhar a nota. É uma lição muito anti-democrática mas que define a minha vida de apelo à razão. No fundo está-se a dizer que se tem de dar a palavra ao “povo” sem se saber se o povo está preparado para dá-la, ou se sabe o que é bom para si ou para os outros.
Eu em relação à democracia sou agnóstico, mas um agnóstico arrisca-se sempre a tornar-se num crente ou num ateu, depende das provas que lhe dão. Nunca é tão céptico como um ateu, e essa história de o agnóstico se manter totalmente afastado não é possível, nós não vivemos de nós próprios, estamos rodeados e em constante conflito com as nossas escolhas e não escolhas. Fiquem cientes que a fase de Roosevelt aplica-se bem no meu caso, eu sou totalmente ceptico em relação aos outros sistemas, ainda que por vezes os compreenda, como é o caso da China e de Cuba, a situação demográfica e geopolítica faz com que eu compreenda.
Em algumas discussões que tenho com amigos meus anti-comunistas a primeira coisa que eles fazes é presumir que eu sou um (erro! Eu não sou comunista por compreender as suas razões!), o segundo erro é presumir que eu gosto de Estaline, erro que me preocupo logo em corrigir. A terceira coisa que fazem é comparar Estaline a Hitler... apesar de ainda achar esta comparação algo exagerada, não me toca lá muito, o argumento que invariavelmente vem a seguir é que me deixa possesso! Então não é que para dizerem que Hitler foi melhor que Estaline, ou Estaline foi pior que Hitler (depende do grau de anti-comunismo) fazem-me reparar que Hitler ainda foi eleito democraticamente! Enquanto que Estaline não! Este argumento não abona nada em favor de Hitler nem de Estaline, mas concerteza diz algo contra a democracia! Não?

Mas mais recentemente têm havido resultados que me deixam cada vez mais para o lado do ateu democrático, do que para o crente. A que mais senti foi aqui em Lisboa. Com um grande trabalho, João Soares tinha sido ao longo dos anos um excelente presidente da câmara desta cidade, e para meu grande desagrado vi Santana, uma das mais vis personalidades políticas de todos os tempos neste país tornar-se o presidente da minha cidade. Mas há piores resultados na política ainda no activo, veja-se o caso de Berlusconi na Itália e de Bush nos EUA. Há outros, mas estes são os que mais me impressionam.

Ontem estive a ver na RTP 1 um documentário sobre as campanhas eleitorais, e a sua evolução, campanhas que são o movimento por trás da decisão que é a génese da democracia. E a conclusão a que se chega é que a campanha vai sempre evoluir para o ataque em vez da informação, para o insulto em vez do conceito, para o gesto em vez da ideia, para o aspecto em vez da substância. É no fundo a futilização da democracia, a sua própria teoria da forca.
E muito mais teria para dizer, mas ficar-me-ei por aqui, dizendo apenas que domingo será a minha pedra de toque. Se a direita, indigna e incompetente, com mensagens desinformantes, apoiadas em boatos e demagogias fáceis ganhar, deixo definitivamente de ter alguma fé que seja na democracia e saio do país.

Miguel Bordalo

E onde está o Benfica?

Hoje decidi ficar em casa a escrever e a comentar blogues. Estou quase a acabar de os ler, aqueles que me propus ler, a sequência que faço grande parte dos dias, que é ler os que estão aqui linkados ao lado, com a excepção do Causa Nossa, canso-me, e mais uns quantos que aqui tenho nos favoritos. Mas hoje encontrei uma página, que ainda não percebi muito bem o que é, que tem linkados vários blogues, inclusive o nosso! Por isso resolvi visitá-los a todos, com a excepção também do Barnabé, cansa-me.

Comentei muitos, outro só li. Mas encontro-me agora mesmo no Pula Pula Pulga que mostra um quadro dos lucros do clubes mais ricos neste último ano... E não percebo onde está o BENFICA?!?!? E depois faz uma pergunta pertinente à qual tenho várias respostas, desde golos anulados, a expulsões mal efectuadas a Mourinho...



Mas o que me preocupa realmente é onde está o SLB...

Miguel Bordalo

Luta política?

Ou luta pela sobrevivência? Se a classe do senhor ministro andasse na rua a morrer por falta de apoio e meios, gostaria de ver se não iria querer resolver isso o mais rapidamente possível!

Miguel Bordalo

Breves achegas

Na minha leitora madrugadora das 12:30 às 13:30 deparei-me com dois apelos. E o facto de Miguel Góis e Daniel Sampaio na mesma frase não ter grande sentido, os dois escreveram os seus apelos no mesmo dia. Daniel Sampaio saiu hoje na Capital. Miguel Góis publicou ontem no Gato Fedorento. Resta-me a pergunta a Miguel Góis, e apesar de não ser um indeciso, é para que arranjem um personalidade jurídica? Pá...

Miguel Bordalo

O último dia de campanha

Estes últimos dias, como é sabido, servem na campanha para mobilizar. O PS tem conseguido os seus intentos e a maioria absoluta está bem perto. Mas hoje no Independente saiu o golpe final da direita, e o golpe nem sequer é desonesto, é leal politicamente? Não será. Mas Sócrates tem rabos de palha, isso já foi aqui dito no Pastelinho há muito tempo, Sócrates é um político com más companhias, mas é sem dúvida, e apesar destes factos um homem mais sério, competente e preparado que Santana. Essa é a escolha para muitos. Esta notícia do Independente é desmobilizadora, é isso que se pretende, não querem acreditar que eles arranjaram aquele documento ontem? É claro que o último dia da campanha eleitoral era o dia perfeito para que Sócrates não tivesse tempo de fazer esquecer e limpasse a imagem como fez antes no mesmo caso Freeport.
Eu não vou votar Sócrates, não estou muito interessado numa maioria absoluta, só se isso significasse uma derrota ainda maior da direita, acho que esta história da necessidade de uma maioria absoluta é um argumento que não me convence, e não me convence porque o partido socialista teve o melhor governo que este país conheceu desde à muitos, muitos anos, que foram os primeiro quatro anos de Guterres, o problema foi a seguir quanto premiado pelos bons quatro anos não atingiu a maioria absoluta por um deputado, perdido para o BE.
Nunca gostei da escolha de Sócrates para o PS. Na realidade se estivesse lá Ferro Rodrigues eu seria mais um votante do PS neste momento. Mas acho que toda a gente deve saber que este tipo de situações em que Sócrates está envolvido é infelizmente prática de grande parte dos políticos em Portugal. Ainda no outro dia, como foi denunciado aqui no Pastelinho o actual ministro do ambiente Nobre Guedes licenciou um condomínio privado numa zona protegida, e porquê? Ninguém sabe? Provavelmente por razões boas ao ambiente.

Miguel Bordalo

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Pelos fóruns fora

Eu não gosto de fóruns, são irritantes, porque grande parte das vezes não promovem a democracia mas sim a ignorância. Apetece muitas vezes participar, não tanto para tratar do tema, mas para corrigir ou criticar os participantes ou intervenientes nos programas. Mas hoje, ao voltar da Ericeira nunca me apeteceu tanto entrar num! Exactamente para criticar uma das intervenientes, e se fosse possível insultá-la! E ainda por cima trata-se de um fórum discriminatório, o fórum mulher... e não me digam que a ignorância não é contagiante!Para que este post não se torne um daqueles meus muito longos, vou directo ao assunto, o que a senhora disse é muito grave e é uma das mensagens que o CDS PP tenta enviar. Começou por dizer que não compreendia a situação dos subsídios de desemprego, que qualquer pessoa que pedisse um subsídio assim teria de se sujeitar a qualquer emprego! E depois disse que era necessário liberalizar totalmente o código de trabalho, porque há empresas que precisam de empregados para certas alturas do ano, e os seis meses mais dois que são necessários para os contratar desincentivam as empresas a criar emprego. Meus caros! Esta senhora era economista e claramente não sabe a diferença entre trabalho e emprego, entre prestação de serviços e empregos! E não sabe porquê? Porque muito provavelmente passou a sua vida confortavelmente empregada e toma tudo aquilo como garantido! Esta senhora sabe lá, quer lá saber das vidas das outras pessoas! Das condições de vida pela qual muita gente anda aí a passar aflita à procura de emprego e de segurança no emprego, porque tem quem dependa de si, ou simplesmente não quer mais depender de alguém! É uma vergonha esta mensagem indigna, que rebaixa milhares de portugueses a uma condição de segunda! UMA VERGONHA!

Miguel Bordalo

O cartão do cinéfalo

Eu e a minha mais que tudo somos altamente viciados em cinema. Pegámos em nós e fomos hoje fazer o cartão dos viciadinhos dos ecrãs gigantes, o cartão King Triplex. Vou poupar uma pipa de massa, mas vou-me desgraçar todo, porque vou ver todos os filmes possíveis e imaginários! Até já decidimos que íamos ver o Blade! E é assim que se estragam vidas sabem.

Miguel Bordalo

Ps: cinéfalo é uma palavra algo estranha... é que eu não vejo filmes no Olímpia... por falar em Olímpia vejam este artigo que encontrei ao tentar achar a rua em que está situado o cinema Olímpia, não queria ser tão directo!

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

O RAIO DA SEITA!

Há por aí uma seita, que se anda a alastrar! Uma seita anti-Shumaker que o compara à Teresa Guilherme! PARA MIM BASTA! Podemos facilmente indentifica-los e evitar contaminações futuras! GWL do Água em Pó, Eskimo do Eskimo, CPC do Quebra Vozes e finalmente MCG do Pastelinho! Sim! Daqui! Estou a avisar os mais incautos para o perigo que habita de uma forma obscura neste blogue!

Miguel Bordalo

Alerta ambiental

O Publicus faz um alerta muito importante e urgente sobre a situação das focas bebés. Vão lá e participem.

Miguel Bordalo

Ainda o debate

Gostando ou não gostando deles, quem esteve em grande no debate foram os jornalistas. Exímios, raramente deixaram o debate escapar-lhes das mãos, umas tantas respostas evadidas por parte de Sócrates e Santana, mas também de Portas, e logo tentavam rectificar a situação. No outro debate fiquei impressionado com a má qualidade das perguntas e da capacidade dos jornalistas de controlarem a pergunta, mas se se pode culpar o formato já as perguntas que não eram perguntas eram afirmações... do género – vocês não consegue cumprir o plano que tem para as reformas, como é que vai dar a volta à situação? – Desta vez não. Tanto Judite de Sousa (surpreendentemente) e José Alberto Carvalho estiveram impecáveis, concentrados, atentos, rectificando pontos de vista e confrontado os participantes com afirmações dos próprios. Um dos grandes momentos que revelou quem é Santana Lopes, foi quando confrontado com os 400 mil contos que o estado isentou na fusão dos bancos, ao mesmo tempo que anda a pedir sacrifícios ao resto dos portugueses. Santana riu-se gozando com a quantia a ser tratada e foi Judite de Sousa que teve de dizer – “400 mil contos é dinheiro!” – “Pronto ta bem!” Disse Santana resignado com mais uma pequena derrota naquele debate...

Mas quem não esteve manifestamente bem foram os comentadores. Depois de ter escrito as minhas conclusões sobre o debate passei, infelizmente, durante poucos minutos pela Sic Notícias porque não aguentei mais! Vi um comentador a dar a vitória a Paulo Portas, achei estranho, mas nada de grave, é a sua opinião, justificou-a dizendo que ele passava a sua mensagem com mais clareza (assim uma espécie de Bush contra Kerrys, era com certeza o que ele queria dizer, um ponto para aqueles que conseguem explicar melhor as coisas aos ignorantes!). Mas a seguir é que veio o momento mais grave, e grave para a Sic Notícias que tenta ser uma televisão de referência e que tem comentadores que não a deixam chegar a um nível que merece. Não tendo lá Luís Delgado para dizer que Santana ganhou o debate, escolheram um miúdo que é o especialista em questões económicas, e a sua frase inicial fez-me quase imediatamente mudar de canal. Dizia ele que quem ganhou o debate foi Paulo Portas porque em questões económicas ele excluía Louçã por ser uma personalidade anti-sistema... ora está tudo dito! E anda a Sic Notícias a empregar gente medíocre como esta!

Miguel Bordalo

terça-feira, fevereiro 15, 2005

Vitória esmagadora de Louçã

Muitas vezes critico aqui o líder do BE, não gosto da sua demagogia e do seu desespero à procura de votos. Mas hoje esteve em grande, concentrado, sabia do que estava a falar, rápido a responder, com uma ou outra proposta interessante principalmente a nível de finanças. Ganhou claramente um debate que teve como derrotado Santana Lopes, que na primeira parte do debate ainda tentou manter uma posse de estado com muita demagogia à mistura, uma certa seriedade, mas que na segunda descambou para o miúdo aflito e mal comportado, que tentava entrar com o colega de lado que esteve sempre muito sóbrio apesar de por vezes insultuoso, principalmente com Louçã (visto que este estava a ganhar o debate).
Sócrates melhorou muito na segunda parte, mas manteve-se muito apagado, que foi provavelmente a melhor escolha, para ele e para Paulo Portas, que sempre que fala vai perdendo pontos e viu-se que tentou ter muito cuidado para não entrar em grandes contradições com Santana. O que eu achei um piadão em Portas, os vários momentos ridículos que nos proporcionou foram os gráficos... feitos por alunos dá primária quase todos tinham apenas duas barras! Feitos a azul e amarelo! E não se percebia bem quais eram os valores que tentava apresentar. O mais engraçado no entanto, foi um gráfico com o sistema nacional de saúde... (ri-me tanto!) Tinha um circulo de áreas do serviço nacional de saúde, com vários bonequinhos cómicos, e para que serviu o gráfico? Para mostrar dois desenhinhos e dizer que era nas urgências e nos hospitais que a saúde estava alicerçada... Tirem as vossas conclusões, os gráficos foram cómicos demais, e só quem não percebe isto é que pode ponderar dar seriedade aquele homem, apesar da sua postura ao longo do debate!
De salientar que Santana não falou de educação, apesar de todos terem falado, menos Jerónimo que foi a vitima de uma rouquidão impeditiva... até deu pena! Não te preocupes Jerónimo tens o meu voto à mesma!

Miguel Bordalo

1ª Parte

Foi um debate estranho, muito caótico, as partes mais lúcidas e claras foram curiosamente de Louçã que fica, na minha opinião, em vantagem e com menos tempo que os outros.
Jerónimo não tem voz... não sei se ficará a perder ou a ganhar. Os outros três estão nervosos e andam à turras sem conseguirem deixar de ser demagogos o suficiente, principalmente Santana, apesar dos dois líderes de direita terem vindo munidos de gráficos até mais não para explicarem a pesada herança... já cansa realmente.

Miguel Bordalo

Só pode ser burro, o povo...

Já cá faltava, se não fosse a campanha mais ou menos eficaz para limpar a imagem de Durão Barroso, tinha a certeza absoluta que a sua participação de hoje no tempo de antena do PSD só podia ser positiva para aqueles que lutam contra o PSD. Assim fico só com a impressão que isto é verdade. Só pode! Deixou o país num estado miserável e, não lhe bastando os maus serviços prestados, entrega o seu cargo ao pior Primeiro Ministro de sempre neste país! Hoje aparece no tempo de antena do PSD e ainda bem! Isso deu bronca lá pelo parlamneto europeu, e ainda bem!

E em mais um momento precioso desta campanha, o PSD que é o partido mais aflito de todos, o partido com a pior campanha (contra até aquilo que eu pensava), fez mais uma das suas. Enviou uma carta... uma missiva! aos eleitores. Nesta carta vêm termos que não espera ouvir de um partido que está à três anos no poder, e muito menos da boca de um Primeiro Ministro, mas realmente estamos a falar deste PSD e deste PM! Tudo muda de figura e é possível ler coisas como “fazer frente aos poderosos”! E um chorrilho de demagogia, a verdadeira razão porque muitos não vão votar... uma enorme vergonha! Encontram parte delas nesta notícia no público (como sempre).

Miguel Bordalo

Apelo a Lisboa

Há uma série muito boa chamada “West Wing”, ou “Os homens do presidente”, que passa a altas horas da manhã na TVI, uma série muito boa, onde num dos episódios se passava uma situação muito interessante... Umas das secretárias de um membro importante dos conselheiros da sala oval, enganou-se e votou na adversário. Ao aperceber-se disto foi para a rua e não desistiu enquanto não trocou o voto com alguém, e consegui! Inclusive num estado diferente... ou seja longe!

Hoje quero discutir abertamente com quem vem aqui e está a pensar em votar no PSD em Lisboa... Façam assim, troquem de voto! Com um amigo ou um familiar noutro sitio que não seja em Lisboa... é porque em Lisboa está para ser eleito uma das personalidades mais vis, abomináveis e ignóbeis que alguma vez apareceram na vida política portuguesa! O senhor Nuno da Câmara Pereira. Tenham isso em atenção e troquem de voto, se estiverem convictos que têm de votar no PSD.

É um apelo que faço à minha cidade, um apelo sério e grave! Para que no dia das eleições, que se antevê um dia feliz, Lisboa não fique marcada pelo aspecto mais negativo nestas eleições. Lisboa não pode permitir que a assembleia da república desça a este nível.

Miguel Bordalo

segunda-feira, fevereiro 14, 2005

São das pequenas coisas, são das grandes...

O seu riso desembaraçado, a maneira como me faz sentir, algo que me costuma dizer em segredo, e a tristeza ao vê-la partir... São as pequenas coisas, são as grandes, a razão pela qual não consigo viver sem ela.

Miguel Bordalo

Ps: Apesar de nós não festejarmos o dia dos namorados, porque já festejamos várias coisas nossas, e não gostamos muito que nos imponham um dia, não terá sido assim nestes últimos 7 anos, mas seja como for, ela não acreditava que eu lhe mandasse uma mensagem de São Valentim em público, ora aqui está. O mais público que eu posso. Beijocas Drequinha!

A pedra de toque veio de onde menos se esperava

No outro dia um padre qualquer aproveitou o tempo de antena na RDP para enviar recados políticos aos seus rebanhos... indignado, juntamente com vários outros protestei. Claro que a direita apoiou, Paulo Portas numa frase lacónica dizia “deixem a igreja em paz!” coitadinhos, estão sempre na cruz. E eu, do pessoal do Acidental e companhia espero sempre qualquer coisa com muita demagogia há mistura, mas não esperava esbarrar-me com um texto do Pedro de Mendonza no Ilhas que defendia o padre e a sua liberdade de expressão... Não concordei e disse-o. Hoje uma velhinha de 97 anos! morreu. A senhora era uma figura importante para os católicos em Portugal, e pelos vistos em todo o mundo. O CDS e o PSD interromperam as suas campanhas pela positiva, o PS abrandou o PC e o BE, que não devem ter católicos nas suas fileiras (?) continuaram, apesar de uma palavra de solidariedade para com a comunidade católica... Tudo isto se transformou numa confusão, inclusive os católicos do CDS sentiram-se insultados, como os outros partidos não têm católicos o problema da outra semana não teve significado nenhum, só este! Mas ironias à parte gostaria muito de ver algo escrito pelo Pedro a explicar-me a reprimenda que a própria igreja hoje se fez a si própria, apontando para a necessidade de separar definitivamente as águas...

Miguel Bordalo

Desencontrado



Tenho andado desencontrado com o mar. No outro dia estava um mar prefeito na costa, entrei e não me podia ter envergonhado mais! Não fiz nada e ainda por cima, qual jogador da bola amador frustrado culpei as quilhas! Ao invés da bola! Foram a merda dos finos! - Não consigo fazer um front side decente sem umas quilhas mais rápidas! RAIOS! – Sim porque o meu desencontro com o surf começa sendo eu um goofie que faz melhor direitas que esquerdas!?!?! Mas ultimamente, tirando aquele dia absolutamente fabuloso em que só fiz porcaria dentro de água, rodeado de cromos que se questionavam sobre o nível do meu surf, tendo eu sido o primeiro a apanhar uma onda decente do dia, uma boa onda, e depois só fazer porcaria!



Mas, dizia eu, ando desencontrado, quando está bom não estou dentro de água, quando está mau, lá estou eu, a tentar apanhar coisas que não existem. Não o faço de propósito, acontece... a diga-se de passagem que as previsões nos vários sitios não têm andado lá muito rigorosas! E o vento? O vento que parece não existir, e depois transforma-se numa tempestade deixando o mar completamente desordenado! Ontem na costa estive meia hora a fazer surf num sitio onde, num espaço de 10 metros haviam 5 picos! Não havia paredes em lado nenhum. E no dia anterior tinha estado brilhante!



Mas a luta continua... e amanhã lá estarei novamente!

Miguel Bordalo

domingo, fevereiro 13, 2005

Amigos na internet

Nunca pensei que fosse possível, mas a verdade é que é possível fazer amigos na internet, ok, não serão os amigos mais importantes na nossa vida, mas é sem dúvida muito agradável chegar ao computador à noite, cansado, e usufruir da sua companhia. Ultimamente tenho andado a ter umas discussões muito “calvinianas” (não do filósofo, do Calvin mesmo!) aqui no blOgre de um meu amigo de longa data (e sem dúvida um grande amigo), e não é o meu espanto quando nesta conversa se integram facilmente, como se sempre estivessem ali, como se sempre fizessem parte daquelas discussões que eu e o Chico, muitas vezes tipos atrofiados temos! O Great White Leader, do Água em Pó (para onde vos envio muitas vezes para saberem mais sobre automobilismo, apesar de ter descoberto que pertence a uma seita estranha), e a CPC do Quebra Vozes, (que fez um blogue, para já pequeno, muito bem aproveitado e discutido e que agora pensa abandonar-nos). Apesar de conversarmos todos muito abertamente, e sermos capazes de discutir entre nós quase tudo, nunca nos vimos frente a frente... E eu acho isto espantoso! Magnifico até!
A Eskimo que pelos vistos também pertence à mesma seita que o GWL e o meu companheiro principal aqui no blogue o Manel, faz-me pensar ainda mais nisto, porque entre o GWL e a CPC ainda há relações de amizades explicáveis, agora com a Eskimo a questão é bem diferente. O nosso amigo do Pé de Meias o mfc, apesar da sua capacidade mais alargada para fazer amigos na blogosfera também faz parte deste grupo, tal como o Serras.
Não quero descartar a participação de outros, e a leitura de muitos que ou têm vergonha de participar, ou não têm paciência, ou seja lá o que for... mas a verdade é que há este grupo de amigos na blogosfera como haverá outros, mas este especificamente está apostado em não deixar um blogue muito especifico e que nos é muito querido morrer. O Quebra Vozes. Os comentários já são mais que muitos, faltava aqui um post no Pastelinho a exigir o retorno imediato do blogue à actividade! Já basta de descanso! Parar todos nós paramos, nos blogue não se pode forçar, apesar de eu o fazer de vez em quando. Vamos Catarina, anima-te e força!

Miguel Bordalo

sábado, fevereiro 12, 2005

Arthur Miller



O mundo vê morrer mais um grande escritor. Tenho quase a certeza que a Cecília no blogue Errante escreverá algo sábio e muito bem informado sobre ele. É um blogue onde vou muito, mas onde nunca comento porque destesto comentar no blogguer.

Miguel Bordalo

sexta-feira, fevereiro 11, 2005

Cinco posts, cinco partidos, PSL ou a v(itóri)ã glória da incompetência

Não sei por onde hei-de começar quando escrevo sobre o PSD. Podia começar por lembrar, em terra de memória curta, a incompetência e da prepotência com que fomos governado durante a era Durão-Portas.
Parece que já ninguém se lembra da falta de respeito com que a oposição foi tratada, da agressividade no discurso, das políticas neo-conservadoras mas sobretudo, da falta de reais ideias e soluções para um país que, se de tanga estava, nú ficou. Mas porquê é que ninguém se lembra?
Quando Durão fugiu para a frente, para Bruxelas, fê-lo com a certeza que estava num barco que se afundava aos poucos.
Lembram-se da esmagadora vitória do PS nas europeias? Parece que já ninguém se lembra.
Lembram-se da asneira complexada de Sampaio de manter em funções uma coligação desgovernada?
Parece longe esse tempo. Passaram anos? Parece. Porque ao desgoverno dessa coligação, foi introduzido o facto x. Pedro Santana Lopes, a resposta para todos estes porquês, para tantas interrogações.
A verdade é que o espectáculo medíocre mas espampanante a que assistimos, enterrou bem fundo na nossa memória todo o que de mau se passou antes.
O que era então desgoverno transformou-se numa anarquia de incompetência, uma feira de vaidades do pior gosto, um arraial de gosto duvidoso, traduzido na prática no pior governo depois do 25 de Abril.
Se a coligação de Durão-Portas não era a mais legítima do mundo, imagine-se então uma coligação afundada e esmagada pelo PS nas Europeias. Sem legitimidade política e democrática, com carta branca de Jorge Sampaio –perdoamos mas não esquecemos- este foi a maior montra de asneiras que assistimos nas nossas vidas. Com direito a repetições diárias. De vários ângulos.
Não há opinião que resista aos factos: Foram quatro meses péssimos. Quatro longos meses de uma agoniante música dos Ena Pá 2000.Ou pior.

E o que pode fazer um governo escandalosamente não-legitimado pelos portugueses, filho bastardo de outro governo que não menos –e isto sim pode ser discutido, é só uma opinião - carecia de legitimidade (se tiverem dúvidas perguntem aos eleitores do PSD se queriam uma coligação com Paulo Portas?)
No mínimo, o governo de Santana Lopes podia tentar ser discreto. Pensar, bem, não fomos legitimados pelo povo, não somos competentes, mas pronto, vamos lá tentar fazer o mínimo de asneiras possíveis. Pode ser que ninguém se lembre de nós quando sairmos daqui.
Isto seria um cenário bom para Santana, não ser lembrado, porque mais que isso requeria sempre uma efectiva competência política, coisa que todos sabíamos ser uma meta impossível num governo com a liderança de Pedro Santana Lopes, o homem que, não esqueçamos, enterrou a Figueira da Foz com palmeiras e atirou poeira para cima dos lisboetas com túneis e casinos rídiculos, que mostram não só uma megalomania quase doentia, como uma facílima cedência a lobbies importantes.
Mas não. No governo, PSL falhou e fez por falhar. Não foi discreto, foi de uma incompetência pornográfica. Esfregou-nos a sua incapacidade na cara.
Dependendo dos dias, das horas e provavelmente do estado do tempo, pavoneou-se com um discurso à porteira.
Oh minha senhora…
E começava. E queixava-se. Sempre e mais. Arranjando uns arrufos, umas intrigas, para mostrar que tem poder, mas sem nunca dar a cara, como uma qualquer porteira intriguista. Para entreter.

A máxima demostração de poder que nos deu, foi encapotada, atabalhoadamente assumida quando o escandâlo era demasiado evidente e uma das maiores vergonhas do Portugal contemporâneo, que ele e só ele, voltou a usar: a censura. Falo dos casos Marcelo, Rodrigues dos Santos e mais recentemente, a Freitas do Amaral. Pressões e amordaçamento. Tudo sempre mal disfarçado.
Oh minha senhora, não fui eu
O seu maior apoio no PSD e falo em apoio mesmo, não numa meia dúzia de lambe botas, é Alberto João Jardim. Poderia acabar aqui o meu post que este apoio diz tudo. Todos os outros, de Marques Mendes a Marcelo, passando por Cavaco, esperam, jogando com as suas marionetas, que Santana se espete ao comprido. E nem disfarçam muito.
Metáforas, trouxe-nos muitas, cada uma mais foleira que a outra, ideias poucas, políticas zero.
Arrastou-se na lama até ao fim e, imagina-se, conseguiu com que Portas saísse quase ileso de 3 anos de governo e se prepare para manter votações anteriores (em circunstâncias normais Portas seria reduzido a nada).

Ultimamente lança insinuações, sem pudor, sem nível e sem punição.
Oh minha senhora, ouvi dizer que o senhor do quarto andar…
Depois, foge a correr para encontros informais com os jornalistas, onde Pedro o primeiro-ministro e Santana o presidente do PSD, se degladiam numa luta de egos.
Esconde-se.
Oh minha senhora não estou para fazer campanha na rua
O maior exemplo de incompetência do pós-25 de Abril, a maior vergonha que alguma vez tive como português, o maior desastre possível para a nossa democracia, para a classe política portuguesa, para o normal respeito e funcionamento das instituições dessa mesma democracia para a qual Pedro Santana Lopes nem no seu maior sonho alguma vez contribui, senão com uma tremenda imagem negra que se espera, e desespera, que seja apagada.
MCG

PS: E ainda me surpreende a falta de pudor com que “artistas”, gente que neste momento devia ter vergonha de falar em cultura, quanto mais de se auto-intitularem veículos culturais, se reúnem em jantares para apoiar este pobre personagem. O que vale é que o povo é sereno…

quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Só é enganado quem quer!

Hoje o PP para aparecer em destaque nos jornais decidiu definir-se como partido revolucionário! Falou o dia todo, como tem vindo a acontecer, como um autentico partido da oposição nestes últimos anos! E mais! A revolução é no âmbito do emprego qualificado e bem remunerado! Um emprego que nas palavras de Portas tem de ser duradouro! Pois eles são contra o emprego de baixos salários, aí pois são! Não são?
Não só me impressiona toda a demagogia, aldrabice destes mal intencionados, como neste caso as coisas são bastante fáceis de analisar. É que a questão do emprego em Portugal esteve, nesta última legislatura de três anos, exactamente na mão do PP. Não só aumentou o número de desempregados, como diminuiu o apoio prestado aos mesmos! Bagão aquele homem que tentam fazer de herói, um dos maiores responsáveis pela desgraça que foram estes governos PSD/CDS foi o responsável pela frase, depois de tornar o emprego mais precário ainda, - os portugueses têm de se habituar que os seus primeiros empregos não vão ser os seus únicos – No fundo só é enganado quem quer. E esta cambada de mentirosos e demagogos, que dizem uma coisa e acreditam noutra deviam desaparecer do espectro político português. É uma pena que este povo esteja tão pouco informado, ou esteja, em alguns casos completamente estupidificado!

Miguel Bordalo

A moral a cima de tudo!

No outro dia ao ler o esplanar deparei-me com um texto estranho, li-o ri-me pouco e disse para mim – que mau gosto! – acontece raramente, mas por vezes também não gosto dos textos do esplanar... segui a leitura e vi que no País Relativo se encontrava o mesmo texto. Quer dizer... qual é o problema que estes dois participantes haviam de ter de satirizar a questão da coligação? Eu não quero deixar de dar razão às feministas que se queixaram fortemente no País Relativo, mas criar estereótipos, principalmente se forem incomodativos, fazem parte da comédia.
Quando não gostei do texto não foi bem pela questão femininista, foi mais por Filipe Nunes e Rui Branco representarem o PS mais à direita, e representarem aquela facção mais reaccionária do PS que preferiria fazer uma coligação com o PP. Mesmo que não o adimitam! São no fundo aqueles tipos muito feios que são nossos amigos, a quem nós andamos sempre a perguntar onde estão os seus caixotes de lixo, pois estão sempre a desdenhar as mulheres jeitosas que por aí aparecem, mas quando arranjam a primeira namorada, estes ávidos punheteiros pegam nos pormenores e arranjam a maior marafona feiosa que ainda por cima manda neles como cães!
Mas fora de brincadeiras acho que os comentários altamente moralistas e estranhamente insistentes no País Relativo são uma estupidez. A exigência da saída da blogosfera ou a criação de um mau ambiente entre os escritores do blogue é ainda mais suspeita, e é sem dúvida uma questão inexistente. Aqui deixo o meu apoio aos dois participantes do Esplanar e do País Relativo.

Miguel Bordalo

As verdades

Eu sei que o meu amigo Miguel não pode com este tipo. A verdade é que eu também não, embora em menor escala. Mas que se lixe.
Pacheco Pereira é dos maiores anti-comunistas do nosso país. Pode-se dizer que ele se tornou um especialista para depois dizer mal, o que não lhe confere mais credibilidade mas sim um maior grau e técnica na obssessão.
E quando falo em anti-comunistas, nem estou a falar na real acepção da palavra, no plano ideológico estou mais a falar naquele tipo de obcecados, género Daniel Oliveira, que não conseguem não dizer mal do PC pelo menos cinco vezes por semana, seja pela "ortodoxia" reinante, seja porque Jerónimo é parecido com o fulano ou cicrano líder de um qualquer partido comunista europeu, ou seja a piada da "linha de montagem" os tipos são "todos iguais".
Depois de me voltar a rir -é que eu adoro a piada da linha de montagem, é uma verdadeira barrigada de riso - esclareço que eu não sou candidato a coisa nenhuma, nem político profissional, nem comentador numa televisão, nem cronista, nem pertenço a um blogue pretencioso, nem nada. Sou um mero e anónimo blogger, votante desde sempre e com uma palavra a dizer, quando me der na real gana, se me derem licença
A mim, ao contrário de outros, não me fica mal dizer que Louçã parece um padre polaco, Sócrates um vendedor de carros de Mem Martins, Santana um vip foleiro que gosta de aparecer nas revistas (hum...) e Portas, bom, Portas parece um actor da Brodaway com pretensões a Hollywood. E Jerónimo está mais perto do bom gigante do que do terrível e dantesco personagem de um filme de terror que já lhe estavam a adivinhar.
Mas adiante, estava a falar de vários tipos de anti-comunistas, dos mais primatas aos mais complexos, passando pelos mais complexados, a verdade é que Pacheco Pereira é um deles.
E se bem que estamos em alturas em que andam todos a dizer verdades, esta, vinda de quem vem, é surpreendente (apesar de confessar também que nem sequer o tenho lido muito e também que Pacheco, depois do Carnaval, passa-se sempre um bocado) :

OBJECTIVOS PARA O PCP - Pela natureza destes dias de fim do comunismo, tal como o conhecemos, o PCP está de há muito tempo em "dire straits". Mas Jerónimo de Sousa trouxe ao PCP uma personagem apaziguadora, mais moderado do que muitos pensaram, mais simpático para a opinião pública do que muitos anteviram (certamente muito mais do que o agressivo moralista Louçã). O PS terá aqui uma reserva para governar mais sólida do que o BE, caso não tenha maioria absoluta. O PCP é mais confiável e menos errático do que o BE, e hoje muito mais moderado. Convém não esquecer que sem o beneplácito do PCP não teria havido acordo social entre os sindicatos e o patronato.

A piada é que não há conclusão para este excerto, está tudo dito e eis a razão pela qual o PS chora baba e ranho por maioria absoluta. E era um bom motivo para o PC pensar duas vezes e deixar de falar de manhã nas "políticas de direita" do PS, para à tarde dizer que quer ser alternativa. Porque se quer ser alternativa com o PS -seria um festival de sapos engolidos- não pode continuar com este discurso duplo e meio esquizofrénico. Haja cabeça. Cabeça, que, pelos vistos, Pacheco Pereira, perdeu. E só lhe fez bem.
MCG

quarta-feira, fevereiro 09, 2005

Boas Notícias

Para além da grande notícia que é a reaproximação israelo-àrabe, selada por um acordo de cessar fogo, à qual desejo, em nome da paz, um futuro, houve duas outras boas notícias, não tão importantes, não tão vitais é certo, mas que vale a pena realçar.
Através da Capital soube que que Santana Lopes se recanditará ao PSD se chegar aos 30%. Repara-se que a notícia não diz que Santana Lopes "só" se recanditará à presidência do PSD se chegar aos 30%. Gosta de, e convém, manter as opções em aberto, Santana Lopes.
E nós, será que gostavamos que Santana ficasse no PPD-PSD?
A outra boa notícia é que Pina Moura não será ministro de um qualquer governo socialista. Só por isso eu quase que me sinto tentado a votar PS- não por ser um governo PS, mas por ver Pina Moura fora do governo PS - mas a verdade é que provavelmente nem em sonhos o faria, quanto mais num pesadelo como este.
MCG

Pois é

«Castigo a McCarthy é uma anormalidade», Pinto da Costa in A Bola. Concordo. É que se este fosse um país normal, esse jogador, por ser de uma violência reincidente, seria punido com mais jogos ainda. Pinto da Costa sabe muito, mas anda a perder qualidades. Está cada vez mais amnésico. O clima de medo e terror que está já a semear para o FC Porto-Benfica, historicamente, não pende a seu favor. A última vez que Pinto da Costa esteve tão histérico e tão nervoso - é que, atenção, ainda faltam umas semanas - foi em 90/91, a última vez que o Benfica ganhou nas Antas, com dois golos de César Brito que nos deram o campeonato, num jogo explosivo, marcado por incidentes absurdos que quiseram intimidar o Benfica (e intimidar mesmo, não é fazer novelas com bilhetes). Lembro-me do cheiro forte a azeite no balneário do Benfica, das agressões e ofensas desse personagem sinistro, que hoje se volta a passear ao lado de Pinto da Costa, Guarda Abel (esclarecimento, há o Bobby, há o Tareco e há o Guarda Abel), a dirigentes do Benfica, o tipo de incidentes que se deram numa fase em que o FC Porto ainda era uma máquina obscura, embora vitoriosa, onde o seu poder e os seus métodos redundavam numa impunidade escandalosa no panorama desportivo português. Ainda falta algum tempo para o jogo, o Benfica pode perder pontos, o FC Porto também, convém que Pinto da Costa se acalme. Não vale a pena apitar por tudo e por nada.
MCG

E já que estamos numa de desporto

No passado domingo, a malta do Pastelinho e alguns amigos, reuniu-se para uma sessão desportiva, a culminar um fim de semana também desportivo. Os objectivos eram dois: ver o Benfica e ver o Superbowl. Sobre o Benfica já o Miguel aqui falou, mas mais haveremos de falar, este vai ser o nosso ano, ao contrário do que os profetas da desgraça e os fazedores de opinião pensaram e pensam. Mas adiante.
Eu percebo ligeiramente mais de futebol americano do que de curling mas, ainda assim sou quase um leigo neste desporto. Gosto de rubgy -a propósito, grande vitória do País de Gales contra a Inglaterra- e de alguns bons filmes sobre futebol americano (Um Domingo Qualquer é sem dúvida o maior, mas há outros interessantes) e só isso me ligava, ainda muito ligeiramente, a este desporto.
Se logo no começo eu me desapontei quando soube que não haveria Beyoncée ao intervalo, mas sim Paul Mcartney a verdade é que fui sendo conquistado ao longo do jogo. O interesse pelo jogo acabou por conquistar o cansaço de 8 horas de trabalho.
Passando por cima daquelas palhaçadas à americana, que têm piada até vermos aviões miliares a sobrevoar o campo e Bush pai a ser ovacionado, o jogo oponha os Philadelphia Eagles aos New England Patriots. Não sei se dava para sentir o peso dos nomes, mas bastou o nosso tradutor de futebolês americano-português, mestre de cerimóninas do Superbowl e editor deste blogue, Miguel Teixeira dizer que queria que os New England ganhassem para que eu e o Miguel B. começassemos logo a puxar pelos Philadelphia.
Claro que vimos logo que os New England eram esmagadores. Organizados, metódicos, cerebrais, cínicos. Com óptimos jogadores.

sb

Aquele tipo de equipa contra a qual, nos filmes, se fazem as vitórias impossíveis. E os Eagles, de verde, eram a tal equipa heróica dos filmes. Espectaculares, crentes, emotivos, humanos, a equipa das jogadas impossíveis, o tipo de gajos porreiros, de um sítio porreiro como é Philadelphia, que nós queremos que ganhem. Mas que erraram demais, apesar de nos terem dado, também os melhores momentos do jogo.

sb


McNabb vs Brady, os dois geniais quarter-backs eram as traves mestras das duas equipas e depósitos de todas as esperanças dos fãs.
McNabb era o tipo de herói dos filmes, a estrela que decidia tudo, até demais, numa equipa demasiado humana para ambicionar ganhar o Superbowl 2005. Não decidiu porque jogou contra uma equipa de robôts, uma força de elite destruidora de sonhos, uma máquina de jogar implacável.

sb

A verdade é que, assim de repente e meio a dormir, fiquei viciado neste jogo. E "aquilo" para mim nem sequer era desporto. O que o desconhecimento faz. Extremamente táctico, agressivo e emocionante, vibrei com o jogo, gostei do desporto. Venham mais.

sb

MCG


Site Meter